A paixão pelo turismo e a dedicação em ressaltar as riquezas naturais, culturais e humanas do Norte de Minas, principalmente pela fotografia, renderam à turismóloga piraporense Silvana Mameluque Mota o Troféu Padre Adherbal Murta de Almeida.

A homenagem foi feita na última sexta-feira (8), durante as celebrações dos 55 anos da Academia Montes-clarense de Letras (AML). O evento foi realizado no ateliê Felicidade Patrocínio.

“Estou em um momento de celebração pela minha vida, que é feita de família, o meu porto seguro completado com a família do meu filho Matheus. Fui surpreendida e confesso que meu coração está transbordando de alegria com a homenagem da Academia Montes-clarense de Letras. Humildemente agradeço o carinho”, diz Silvana.

A homenageada é presença constante nos eventos corporativos, políticos e culturais da cidade e da região, registrando os principais momentos do calendário cultural da cidade.

Para a presidente da AML, a escritora Glorinha Mameluque, é tradição, nessa comemoração, a entrega do Troféu Destaque Cultural 2021 Padre Adherbal Murta de Almeida.

“Esse troféu é concedido a pessoas que não sejam membros do sodalício. Da mesma forma, também receberam o Troféu Mérito Acadêmico 2021 –Professora Yvonne Silveira dois membros da academia: Amelina Chaves e Manoel Hygino dos Santos, ambos por se destacarem nas letras”, explica.

Durante o evento, foi lançada a “Antologia de Contos”, obra inédita produzida pela AML neste ano.
 
TURISMO 
“O turismo é, na prática, uma indústria sem chaminé e necessário se faz a valorização do turismólogo no planejamento de ações e execução de projetos que fomentem a atividade”, afirma Silvana.

Natural de Pirapora, Silvana se mudou para Montes Claros na década de 1970 com os pais, Maria e Marcelo Mameluque Mota, e os irmãos Athos, Aramis e Soraya.

“Aqui cursei o magistério no Colégio Imaculada Conceição. Depois fui para Belo Horizonte, onde me formei em Turismo pela Universidade Newton Paiva Ferreira, em 1979”, lembra a homenageada.

O trabalho durante 18 anos em agências de viagens da capital, onde teve a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos, viajar e conquistar amigos.

Em 1991, Silvana volta a Montes Claros, onde fez o concurso público da prefeitura, tomando posse em 1993 na Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo. “Mais especificamente na gerência de turismo onde permaneci até ser lotada na Secretaria Municipal de Cultura, onde atuo até hoje”, diz.
 
VALORIZAÇÃO 
Para a turismóloga, o poder público e a iniciativa privada têm criado oportunidades para inserir esse profissional. “No Norte de Minas, contamos com vários turismólogos atuando de forma importante na criação de projetos para alavancar o turismo e gerar emprego e renda na região”, ressalta Silvana.

A prova disso, segundo ela, são os Circuitos Turísticos do Governo do Estado. Montes Claros, por exemplo, faz parte do Circuito Turístico Sertão Gerais.

E boa parte dessas riquezas Silvana registra em fotografias. Ela é dona de um acervo riquíssimo de imagens que podem ser acessadas no www.flickr.com/photos/silvanamameluque.

“A fotografia me trouxe o prazer e a preocupação com a memória. Hoje em dia, tenho orgulho do acervo que mantenho na minha página e que administro sozinha, procurando cobrir os principais eventos da cidade. Aproveito para deixar registrada a minha gratidão ao povo de Montes Claros, que me acolheu de tal forma que sempre sou lembrada pelos amigos, nas rodas culturais, sociais e até políticas”, diz.

Para a presidente da Academia, Glorinha Mameluque, a homenagem é mais do que justa, já que através do seu trabalho, Silvana “eterniza não apenas momentos, eventos, mas a cultura, o viver em sociedade ao longo das décadas. Sem dúvida, ela, através da fotografia, vai contando um pouco da história dessa gente sertaneja”, ressalta.