A Polícia Civil prendeu na tarde de ontem, em Montes Claros, um homem suspeito de assassinar o delegado Marco Antônio Torres, que atuava na Bahia. O crime aconteceu no mês passado, em Barra da Estiva (BA), onde uma quadrilha especializada em roubo a bancos matou e queimou o corpo do delegado que investigava os assaltos. 

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia, as polícias Civil de Minas Gerais e São Paulo se uniram para identificar os assassinos de Marco Antônio Torres. Seriam os mesmos autores do sequestro de familiares do gerente do Banco do Brasil em Barra da Estiva. 

O homem foi preso no bairro Sagrada Família, suspeito também de envolvimento em roubos a bancos, explosões de carros-fortes e sequestros. Com ele, os policiais encontraram o veículo Hyundai I30, que foi usado nas ações criminosas. Segundo as investigações, após os crimes, os autores fugiram para Montes Claros. 

“O suspeito conseguiu cadastrar um número de linha telefônica em nome do presidente da República, Michel Temer. No sequestro, ele também teria cadastrado números de telefones do prefeito de Feira de Santana (BA), José Ronaldo de Carvalho”, disse o delegado, Herivelton Ruas. 

Em São Paulo, mais dois homens foram presos; um deles reagiu à prisão, trocou tiros com a polícia e foi morto. A Polícia Civil acredita que com a prisão de Guilherme Fraga, os outros foragidos, que estariam em Montes Claros, serão localizados nos próximos dias.