Três mulheres foram detidas após a Polícia Militar montar ontem à tarde uma operação para entrar em prédio do centro histórico de Montes Claros, na rua Coronel Celestino, onde funciona um bingo. Foi a sexta vez que a polícia tentou fechar o local. Outras quatro pessoas que participavam dos jogos foram ouvidas, liberadas e serão chamadas para esclarecimentos posteriomente.  Sob o comando do capitão Ibernon Oliveira Rodrigues, 20 policiais militares desembarcaram na praça da Matriz para tentar flagrar os apostadores e os proprietários da casa de jogos. Mas, segundo o capitão, a manobra não foi capaz de impedir a fuga da maior parte dos jogadores e de funcionários por uma escadaria que dá acesso à rua Justino Câmara. 

É que, além dos dois “olheiros” presos pela corporação e depois liberados, o local tem sistema de monitoramento com câmeras. No imóvel, foram encontradas 44 máquinas de bingo, além de nove mesas com 36 cadeiras, o que mostra, de acordo com a polícia, a capacidade da casa. 

Apenas R$ 183 foram apreendidos na ação policial. A PM trabalha com a possibilidade de o dinheiro do caixa ter sido retirado por funcionários ou mesmo o proprietário antes da fuga. 

O comando da polícia impediu a entrada no prédio de um homem que se apresentou como advogado do estabelecimento. Ele não informou em nome de quem estava trabalhando. Os policiais também não conseguiram que os funcionários revelassem o nome do proprietário da casa de jogos. 

Três horas após o início da operação, desta vez não originada por denúncia anônima, como das outras cinco anteriores, perito da Polícia Civil trabalhava para catalogar o material apreendido.