A Polícia Civil de Minas trabalha para identificar outros integrantes da quadrilha especializada em roubo a bancos, mineradoras e transportadoras de valores. Parte da quadrilha foi desarticulada no último domingo (17) durante uma operação interestadual envolvendo a Polícia Militar de Minas, Bahia e Goiás. Durante a ação, 15 pessoas foram presas e dois homens morreram em confronto com os militares em Montes Claros. Em Uberlândia, no Triângulo, uma mulher que seria articuladora do grupo também foi detida. 

Para o delegado do Departamento de Investigações Especial, Bruno Rezende, há indícios de que outras pessoas estejam envolvidas nas ações criminosas ocorridas em Minas. “Sabemos que esta quadrilha atuou em ataques a bancos em Minas e na Bahia. Sempre usando de violência e sitiando as cidades”, explica. 

Com armamento pesado e até com veículos blindados, os suspeitos não poupavam esforços para o enfrentamento direto contra as forças de seguranças das cidades escolhidas para os ataques. “Os crimes ocorriam quase que simultaneamente, mas sempre priorizando municípios menores e com facilidade de fuga. Essas instruções eram adquiridas com moradores das cidades ou da região que muniam esses criminosos com informações privilegiadas”, destaca do delegado. 
 
FINANCIAMENTO 
O delegado Bruno Rezende detalha ainda que grande parte dos valores roubados em bancos ou em transportadoras de veículos eram utilizados para refinanciarem o próprio crime. “Era desse recurso que a quadrilha conseguia reequipar com grupo com armamento e estrutura para a fuga. Descobrimos que toda a ação era planejada a meses”, reforça o delegado. 

Todos os envolvidos estão presos em unidades de segurança máxima em Minas.