Duas semanas após um vigia incendiar uma escola infantil em Janaúba, matando 11 pessoas, moradores da cidade do Norte de Minas foram surpreendidos com uma nova ameaça de ataque a uma creche. Um homem foi preso após afirmar que colocaria fogo em uma unidade de ensino infantil do distrito de Quem Quem, na zona rural.

Ele tem 52 anos e teria prestado serviços a uma empreiteira contratada pela Prefeitura de Janaúba. Os pagamentos estariam atrasados. Familiares e pessoas que convivem com o suspeito confirmaram que, há pelo menos uma semana, ele dizia que atearia fogo na creche Cantinho Feliz.

O homem estaria exigindo o pagamento por serviços realizados em vias da cidade. Ele não é funcionário público nem trabalha na creche, informou a assessoria de comunicação da PM. No fim da tarde da última quinta-feira, a diretora da creche Cantinho Feliz acionou a polícia. 

Segundo a Polícia Civil, o suspeito chegou a ser preso, mas negou a ameaça e foi liberado após ser ouvido. Os parentes dele preferiram não prestar depoimento. O caso continuará sendo investigado.
 
VOLTA ÀS AULAS
Também na última quinta-feira, os alunos matriculados na creche Gente Inocente voltaram às aulas. As atividades foram retomadas 14 dias após a tragédia. Cinquenta e três estudantes estavam aptos a reiniciar os estudos, mas só 26 compareceram.

As aulas acontecem em uma nova estrutura montada no bairro Veredas. A diretoria da escola acredita que as faltas decorreram da adaptação ao transporte. No entanto, conforme apurou o Hoje em Dia, alguns pais afirmam que não enviaram os filhos por conta do trauma após o incêndio.
 
NOVA CRECHE
A reconstrução da creche Gente Inocente será financiada por um grupo de empresários de Janaúba e de Montes Claros. A previsão é a de que as obras sejam finalizadas no próximo ano.

Ontem, os arquitetos responsáveis pelo projeto divulgaram vídeo que mostra como vai ficar o local. A unidade será construída no mesmo espaço e receberá o nome “Gente Inocente – Heley de Abreu”, em homenagem à professora de 43 anos que morreu ao tentar salvar alunos. Para ver o vídeo, acesse hojeemdia.com.br. 
* Com Agência Estado