Criminosos fortemente armados voltaram a atacar cidades do interior de Minas. Em menos de um mês, a região Norte do Estado sofreu com a terceira explosão de agências bancárias. Desta vez, o alvo foi a cidade de Gameleiras, de 5.140 habitantes, que viveu uma madrugada de terror. Outras três cidades do Estado também registraram ataques a banco ontem. 

Em Gameleiras, aproximadamente dez suspeitos armados com fuzis e espingardas calibre 12, renderam um agente da Guarda Municipal que realizava o policiamento, invadiram uma agência do banco Bradesco e outra dos Correios e explodiram cofres e caixas eletrônicos. 

Na tentativa de inibir a presença da polícia, os criminosos cercaram as ruas da cidade próximo às residências dos militares da unidade de destacamento da Polícia Militar. “Enquanto um grupo armava as bombas no banco, os demais ficaram nas ruas, atirando para o alto”, contou um sargento, que pediu anonimato. Por sorte, ninguém ficou ferido. 

Após as explosões, os suspeitos fugiram em direção a zona rural de Porteirinha. Lá, os militares encontraram uma saveiro de cor branca utilizada pelos criminosos. Segundo a polícia, o veículo, com placa de Itiruçu, região Sul da Bahia, era alugado. Agora, os agentes tentam identificar quem teria contratado o serviço de aluguel e de onde seriam os criminosos.
 
REPETIÇÃO 
A estratégia do assalto aos bancos em Gameleiras foi a mesma utilizada nos ataques registrados nas cidades de Ibiaí e em Grão Mogol, no Norte do Estado, mês passado. Na época, dois homens, de 19 e 23 anos foram presos. Ambos eram de cidades do Sul da Bahia. Para dificultar na identificação, os suspeitos utilizam carros roubados ou alugados em outros Estados. 

Para tentar coibir este tipo de crime, a Polícia Militar tentar unificar ações com forças policiais de outros Estados. “Além do aumento do efetivo nos destacamentos e investimentos em viaturas e armamentos, há ainda o trabalho em conjunto com as policiais de outros Estados na tentativa de identificar e prender essa quadrilhas”, explicou a chefe da assessoria de comunicação da 11ª Região da Polícia Militar, Major Gracielle Rodrigues. 

De acordo com dados da corporação, os assaltos a banco ainda estão abaixo do ano passado. De janeiro a junho deste ano, 83 ataques a caixas eletrônicos foram registrados em Minas. No mesmo período de 2016, foram 127, queda de 34%.

A PM informou que outras estratégias têm sido adotadas diante dos novos casos registrados. “O setor de inteligência da polícia e o trabalho integrado das corporações de Minas e outros Estados facilitam na busca por identificar e prender os criminosos”, reforçou a major.

As outras ocorrências do tipo registradas ontem em Minas Gerais foram em Monsenhor Paulo e Alterosa, na região Sul, e em Formiga, na região Centro-Oeste.