Dois alunos de 13 e 14 anos foram apreendidos pela Polícia Militar suspeitos de furto e vandalismo em uma escola estadual em Brasília de Minas, no Norte do Estado. O crime foi na noite da última terça-feira. 

De acordo com a Polícia Militar, os estudantes foram apreendidos graças a uma denúncia anônima, no momento em que pulavam o muro para fugir. Eles roubaram quatro notebooks e picharam o quadro da sala de professores. A PM informou que os adolescentes deixaram um bilhete na escola afirmando que planejavam cometer o crime há 5 anos.

Em um lote vago, próximo à unidade educacional, os militares apreenderam os computadores e três sprays de tinta. Também foram encontrados uma ferramenta e um facão usados no arrombamento.

A Escola Estadual Mestra Bila fica no bairro Alto Claro e atende 496 estudantes durante os dois turnos – manhã e noite. “É um absurdo saber que os próprios alunos não zelam pela escola. Isso é da comunidade”, desabafa Francisca Ladeira, de 43 anos, mãe de um estudante da escola. 

Segundo a Polícia Militar, os adolescentes confirmaram que permaneceram nas dependências da escola por aproximadamente uma hora. Eles danificaram a fiação da sala de informática para desligar os computadores que estavam em rede. Os dois detidos foram entregues aos responsáveis.

O diretor da escola, Antônio Geraldo Pinheiro dos Santos, disse que, para entrar na sala de informática, os alunos pegaram a chave na sala da direção e arrombaram uma grade. “Eles estudaram toda a ação. Sabiam até onde estavam as chaves e o que deveriam fazer para pegar os equipamentos eletrônicos”. Por causa dos danos, as turmas ficaram um dia sem as aulas de informática.

As mães dos estudantes envolvidos no crime foram chamadas até a unidade de ensino. “São alunos com histórico de indisciplina, violência e falta de compromisso com a escola”, relata um educador que não quis ter o nome divulgado. 

A direção da escola informou que os adolescentes serão transferidos de unidade de ensino. “Os demais alunos da escola estão revoltados porque o laboratório é um local de aprendizagem e diversão”, desabafou o diretor.