A Polícia Militar abriu investigação, em caráter de urgência, para apurar a conduta de dois militares suspeitos de agredir duas mulheres do lado de fora de uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Salinas. Dois homens também foram contidos pelos policiais com uso de força. O caso ocorreu na tarde do último domingo. 

Segundo a corporação, os policiais foram acionados pelos funcionários do centro de saúde após dois homens, de 19 e 25 anos, tumultuarem o local exigindo atendimento prioritário. Conforme testemunhas, os suspeitos estavam com sintomas de embriaguez e, exaltados, teriam ameaçado os funcionários.

Mesmo com a chegada da PM, os homens teriam continuado a provocar baderna no espaço e, por isso, precisaram ser contidos.

Em vídeo que circula nas redes sociais é possível ver o1 momento em que os militares prendem os rapazes dentro da UPA. A imagem é cortada e, na sequência, aparecem os PMs já do lado de fora da unidade. Neste momento é possível ver um dos policiais puxando uma mulher pelo cabelo. Ela seria parente dos rapazes. Outra mulher que tenta evitar a agressão leva um tapa no rosto também de um militar. Todos os envolvidos foram encaminhados para a delegacia da cidade, onde foram ouvidos e liberados. 
 
VERSÃO
Os militares contaram que as mulheres, de 23 e 35 anos, tentaram impedir a prisão dos rapazes. Ainda de acordo com um dos policiais, uma delas chegou a encostar na arma dele. 

Em nota emitida nesta ontem, a Polícia Militar informou ter determinado abertura de inquérito. No comunicado, a PM também garante que os militares foram atingidos por chutes e sofreram escoriações.

A advogada que representa a família dos agredidos, Barbara Ferreira Estrela, acompanhou a ocorrência, mas não quis comentar o episódio.