Nariz entupido, espirros, dores de cabeça e no corpo. Os sintomas da gripe, muitas vezes confundidos com os de um resfriado, precisam de atenção principalmente para o surgimento de febre, que dura, em média, três dias. Alguns casos, se não tratados, podem ter complicações graves, como a evolução para um quadro de pneumonia. A recomendação é prevenir. 

Nesse sentido, postos de saúde de todo o país começaram ontem a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que vai até 1º de junho. Em Minas, a meta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) é imunizar 5 milhões de pessoas. O objetivo é proteger a população durante o outono e o inverno, épocas em que ocorre o pico de transmissão da doença.

A imunização é válida para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, idosos, portadores de doenças crônicas, trabalhadores da saúde, professores, indígenas, jovens sob medidas socioeducativas, presos e funcionários do sistema prisional. Quem faz parte deste grupo deve comparecer a um centro de centro de saúde e apresentar o cartão de vacinação, além do documento de identidade.
 
ATENÇÃO
No Estado, nenhum óbito relacionado à doença foi registrado em 2018. Até o momento, segundo a SES, 12 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) foram confirmados. Essa síndrome é quando um quadro de febre, tosse, dor de garganta e fadiga aparece associado à dificuldade respiratória e necessidade de hospitalização.

Apesar de o estágio mais grave ter atingido um número pequeno de pessoas, o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, afirma que é preciso manter a atenção. “A vacina demora cerca de 1 mês para fazer efeito. Por isso, é preciso se proteger logo no início da campanha, principalmente o grupo indicado”.

O especialista lembra que mesmo quem já se vacinou em anos anteriores precisa tomar a dose novamente. O vírus da gripe e as vacinas mudam a cada ano. Quem não está incluído no público-alvo da campanha também pode se proteger. A imunização só não é recomendada para pessoas com alergia à proteína do ovo. 

Outras recomendações são importantes: quem estiver doente deve evitar o contato com outras pessoas; ao tossir e espirrar, o braço deve ser usado como escudo, e não as mãos, que precisam ser higienizadas sempre com água e sabão.

Em Montes Claros, devem ser vacinadas 100 mil pessoas. Equipes do Programa Saúde da Família vão vacinar os acamados e com dificuldades de locomoção.