Entre os grupos prioritários para se imunizar contra a gripe, o de crianças e professores foi o que menos compareceu aos postos de saúde, em Montes Claros, durante a Campanha de Vacinação contra a doença, que começou no dia 23 de abril deste ano. 

A meta era vacinar 100 mil pessoas que compõem o público-alvo, mas, de acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, apenas 70% foram imunizados. Mas ainda dá tempo de procurar uma unidade de saúde e se proteger contra a Influenza: a campanha foi prorrogada até 15 de junho. 

Além da pouca adesão dos professores e das crianças, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica Municipal, Maria Clara Lélis, alega que os efeitos da greve dos caminhoneiros colaboraram para a baixa cobertura. 

Segundo ela, várias ações que seriam desenvolvidas no município ficaram comprometidas devido à dificuldade enfrentada pela população e pelos agentes em acessar as unidades de saúde.

“Ações que seriam desenvolvidas com profissionais da área da educação não ocorreram devido à paralisação. Acredito que tudo irá se normalizar. Ainda temos até o dia 15 para atingirmos a meta. O nosso percentual está em 70%, ainda temos 20% do público alvo no município para vacinar”, diz.
 
EXEMPLO
O idosos foram os que mais compareceram aos postos para se vacinar. A cobertura nesta faixa etária está em 87%, de acordo com a responsável pelo setor de imunização do município, Jaceilde Mendes Nunes. A Secretaria de Saúde, embora tenha revelado a pouca adesão de crianças e professores, não informou o índice de cobertura vacinal nesse grupo.

“Não temos uma justificativa para o fato de os professores serem o público com menor índice de vacinação, porque desde o último ano eles foram incluídos no público-alvo da campanha. A nossa meta é atingir 90% e de todos os grupos. Os idosos sempre se destacam nas campanhas”, relata Jaceilde. 

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, que são o H1N1; o H3N2 e o influenza B. O público-alvo da campanha inclui pessoas acima de 60 anos; crianças de seis meses a 5 anos; profissionais do sistema prisional e da área da saúde; professores da rede pública e privada; gestantes, indígenas e pessoas privadas de liberdade.

Quem faz parte desse grupo e ainda não se vacinou deve procurar uma das 28 Equipes de Saúde da Família (ESF). A vacina é contraindicada para pessoas que tenham alergia severa a ovo.

De acordo com dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização (SIP-NI), 28 municípios já atingiram cobertura vacinal de mais de 70%. No Norte de Minas, o público-alvo envolve 354 mil pessoas.