Para tentar atingir a meta de imunização contra o sarampo e a poliomielite na cidade, cinco postos de saúde de Montes Claros ficarão abertos neste sábado e domingo em regime de plantão.

Das 17h às 21h, os postos de saúde dos bairros Santos Reis, Delfino Magalhães, Esplanada e Major Prates estarão abertos. São mais dois dias para que os pais possam levar os filhos de até 5 anos para receberem a vacina contra essas doenças.

A campanha, que começou no dia 6 de agosto, termina oficialmente nesta sexta-feira. A ação foi prorrogada em várias cidades por não atingir a meta de imunizar 95% do público-alvo.

Em Montes Claros foram realizados dois dias de mutirão para atender à recomendação do Ministério da Saúde e, mesmo assim, nem 90% das crianças receberam a vacina. 

De acordo com o setor de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, das 21.678 crianças que deveriam ser vacinadas, 18.230 receberam a dose contra poliomielite e 17.728 contra o sarampo – o que dá uma média de cobertura vacinal de 86,66% contra pólio e 84,54% para o sarampo. 

Para evitar filas nos postos e atender melhor a população, a Secretaria de Saúde pontua que a vacina está sendo aplicada em 18 unidades de saúde básica.

Mesmo após a campanha, os pais podem procurar os postos de saúde para buscar a vacina. Pessoas de outras idades e que precisam se vacinar contra o sarampo podem procurar os postos fora da campanha. Quem já contraiu a doença não precisa ser imunizado.
 
ALERTA
Mais de 1,5 mil casos de sarampo foram confirmados no país, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados no dia 5 de setembro. O levantamento ainda apontou que 7.513 situações estão em investigação. O surto da doença afeta dois estados, o Amazonas, com 1.232 casos confirmados; e Roraima, com 301, sendo que 74 ainda estão sendo investigados.

Em Minas, 110 casos estão sob investigação. A Secretaria Estadual de Saúde informou que, até o momento, nenhum caso da doença foi confirmado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Porém, em uma primeira coleta, quatro pacientes apresentaram amostras soropositivas para anticorpos da doença. Mas, para constatar a enfermidade, é necessário uma segunda amostra soropositiva, que está sendo analisada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
* Com Agência Brasil e Hoje em Dia