A regulamentação do transporte de passageiros por aplicativos foi discutida ontem na Câmara Municipal, durante audiência pública. Segundo a plataforma Uber, Montes Claros tem 1.550 profissionais cadastrados no aplicativo. 

A classe de taxistas concorda com a permanência dos aplicativos, desde que os motoristas sejam regulamentados. O Executivo ainda não tem um projeto de lei formatado.

De acordo com o Sindicato dos Taxistas de Montes Claros (SindTaxi), o município limita o número de táxis na cidade e o valor a ser cobrado por corrida. O custo para ter uma placa é de R$ 12 mil, mais os impostos anuais que chegam a R$ 500. “Nós pagamos diversas taxas, somos submetidos à inspeção, fiscalização e queremos que eles também cumpram com essas exigências”, disse o presidente do SindTaxi, Antônio Souto. 

Os profissionais que trabalham com a Uber querem os mesmos direitos oferecidos aos taxistas estejam na nova legislação. “Hoje nosso maior problema é estacionar no Centro da cidade para aguardar o passageiro”, ressaltou o presidente da Associação de Motoristas por Aplicativos de Montes Claros (Amamoc), Ricardo Odon. 

O procurador municipal, Otávio Rocha, esclareceu que o município não tem o poder de vetar os aplicativos de transporte privado.