O ex-vereador Sérgio Pereira, que concorreu em 2016 pelo PSDC, pode voltar a ocupar uma cadeira na Câmara de Montes Claros nos próximos 30 dias. Vai entrar no lugar do colega de partido José Valdiney Siqueira, o Leão, que teve o mandato cassado pelo TRE por 6 a 0 votos. 

Leão foi eleito com 1.854 votos e Sérgio recebeu 1.336. A diferença de 518 votos é atribuída ao desequilíbrio do pleito, provocado por ato ilícito de Leão, diz o TRE. Ele teria se beneficiado ilegalmente do Programa Leite pela Vida, do Idene, o que caracteriza troca de votos.

“Esperei cerca de 30 dias depois da eleição para ajuizar a ação. A própria população me procurava para relatar fatos que teriam ocorrido e um ex-vereador também fez denúncias. Apurados os fatos, ficou bem claro que houve o ilícito. Estou tranquilo com essa decisão do TRE e aguardo a publicação para retornar à Câmara”, diz Sérgio, afirmando que está acompanhando os trabalhos do Legislativo e do Executivo e que vai trabalhar de maneira independente. 

Farley Menezes, um dos advogados de Sérgio, explica que o acusado poderá pedir esclarecimentos por meio de um mecanismo jurídico chamado embargos de declaração, mas que não altera o parecer do TRE. 

“A decisão deverá produzir efeitos em 20 dias com a posse do suplente Sérgio Pereira”, declara o advogado. 

Com a ida de Sérgio para a Câmara, o PSDC continua com duas cadeiras. A outra é da vereadora Delcinéia Santos.