Servidores da Empresa Municipal de Serviços, Obras e Urbanização, autarquia vinculada à Prefeitura de Montes Claros, protestam contra o não recebimento dos salários referentes ao mês de dezembro de 2017. A categoria deu um prazo para o município quitar o débito até hoje, caso contrário, poderão paralisar as atividades. 

“O posicionamento do sindicato é de indignação. Vamos aguardar até o final da tarde desta sexta-feira (hoje), mas se o dinheiro não cair na conta, vamos radicalizar e propor aos servidores uma paralisação”, disse o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Montes Claros, Flávio Célio Oliva. 

Ele conta que a justificativa apresentada pela direção da empresa foi de que teria havido um erro contábil. O sindicalista considera que há dinheiro suficiente no caixa do município para pagar os funcionários e que só depende da boa vontade do prefeito.

“Essa desculpa de não ter feito o empenho (dos recursos) nós não vamos mais aceitar. Os funcionários não podem ficar prejudicados. Criaram essa burocracia para atrapalhar o pagamento. A prefeitura está cheia de dinheiro e não paga”, desabafa o servidor. 
 
RESPONSABILIDADE 
A Esurb tem cerca de 200 funcionários e responde pelo serviço de pavimentação e iluminação do município. O representante dos servidores acrescentou que o fato de a empresa não estar realizando grandes obras e serviços não é motivo para o prefeito não pagar os salários. 

“Pagamento é comida na mesa do trabalhador. É sagrado. Vamos procurar a justiça já na segunda-feira, caso o problema não seja resolvido”, complementou.
 
PASSANDO NECESSIDADE
Um dos servidores, que pediu para manter a identidade em sigilo por receio de retaliação, diz que a situação está insustentável. 

“Aqui é difícil até paralisar o serviço porque as pessoas têm medo. Tenho colegas aqui que já não têm mais o que comer em casa”, lamenta.

Ronaldo Ramon de Brito, gerente Administrativo Financeiro, que está respondendo interinamente pela Esurb, disse à reportagem de O NORTE apenas que os salários serão pagos nos próximos dois dias. Questionado sobre o motivo da demora, contou que estava em trânsito e retornaria o contato, mas até o fechamento da edição não recebemos o prometido retorno.