Oficialmente, a campanha eleitoral deste ano só começa em agosto, 45 dias antes do pleito. Com restrição de verba para divulgar propostas e já empenhados em conquistar o eleitorado, os principais pré-candidatos ao governo de Minas têm recorrido à web, especialmente às redes sociais mais usadas – Facebook, Twitter e Instagram –, para dar o recado e marcar território na disputa. E com a preocupação não infringir a legislação eleitoral. 

Os resultados dessa estratégia para o governador Fernando Pimentel (PT), o senador Antonio Anastasia (PSDB), o ex-deputado Dinis Pinheiro (Solidariedade), o ex-prefeito Marcio Lacerda (PSB) e o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM), porém, têm sido bem diferentes no ambiente virtual. 
 
INTENSIFICAÇÃO
Com o maior número de seguidores entre os concorrentes no Facebook (224,2 mil), Pimentel intensificou o uso das redes nos últimos meses. 

Nas postagens, ele mescla a divulgação de ações do governo, opiniões sobre temas variados – inclusive da política nacional – e, mais recentemente, até vídeos gravados pelo celular, nos quais comenta questões do Estado e do país. 

No último domingo, por exemplo, fez um “vivo” parabenizando as mães. Pimentel ainda tem conta no Twitter (com 22,3 mil seguidores) e no Instagram (11,5 mil), abastecidas com frequência por ele e assessores.

O senador e ex-governador Antonio Anastasia também tem usado com frequência as redes. O destaque é para o Twitter, onde tem 48,2 mil pessoas acompanhando as postagens, o maior número entre os cinco pré-candidatos ao governo de Minas. 

O tucano, com 87,2 mil seguidores no Facebook e 12,4 mil no Instagram, é adepto de postagens curtas, versando sobre projetos que apoia ou da autoria dele no Senado. Ao contrário dos adversários, Anastasia só deixou transparecer a possibilidade de disputar o Palácio da Liberdade, nas redes sociais, em maio. 
 
ENGAJAMENTO
O ex-prefeito Marcio Lacerda é o quarto em número de seguidores no Facebook, atrás de Pimentel, de Dinis Pinheiro, que tem 202 mil fãs, e de Anastasia. Está à frente apenas de Rodrigo Pacheco, que tem 11,4 mil adeptos. O socialista, que não tem conta no Twitter e contabiliza 5,4 mil seguidores no Instagram, tem, no entanto, a maior taxa de engajamento (um cálculo que traduz a interação com os seguidores) na maior rede social: 56,7%, apenas nas dez últimas postagens de sua página, até ontem. 

Esse número se explica pelo alto volume de curtidas de suas postagens: nas últimas seis, até ontem à tarde, por exemplo, cinco passaram de 1,5 mil manifestações de internautas e a última delas, dedicada à mãe do ex-prefeito, chegou a 7,3 mil curtidas.

Ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro – que deixou o PSDB e ingressou no Solidariedade em abril, para ser candidato ao governo – tem performance mais modesta no Facebook. 

Com 1,3 mil curtidas e compartilhamentos nas dez últimas postagens, também até a tarde de ontem, a taxa de engajamento foi de 0,6%. O pré-candidato tem 55 seguidores no Twitter e é o terceiro em adeptos às postagens do Instagram, com 5,4 mil inscritos. 

Rodrigo Pacheco, que trocou o MDB pelo DEM há pouco tempo, igualmente com vistas a uma candidatura ao Palácio da Liberdade, é o de menor número de seguidores no Facebook, mas sua performance, se levada em conta a taxa de engajamento, perde apenas para a de Lacerda. 

Embora nos últimos dias tenha usado pouco essa rede, na qual tem 11,4 mil fãs, o pré-candidato obteve, com as dez publicações mais recentes, cerca de 2,3 mil curtidas e compartilhamentos, atingindo 20,5% de engajamento. Pacheco também é mais presente no Twitter, onde tem quase mil seguidores, e no Instagram, com 7,8 mil, em que faz postagens de forma regular.