Montes Claros se despediu de um dos grandes personagens de sua história. O pecuarista José da Conceição Soares Dias, conhecido como Dezinho, faleceu aos 87 anos depois de 17 paradas cardíacas subsequentes.

Para a neta mais velha, Pâmela Dias, isso demonstra mais um faceta do grande guerreiro que foi o avô. “A coragem, a garra, a vontade de viver. Dezessete paradas cardíacas é para quem luta pela vida, mesmo com os entraves do dia a dia”, declara Pâmela.

Para Pâmela, Dezinho é um exemplo a ser seguido. “Ele sempre nos incentivou a ir para o mundo, aprender a viver e construir a nossa própria história. Falava muito sobre a grandeza do trabalho e da nobreza que precisávamos ter como pessoa”, revela a neta, que residindo em outra cidade, cultivava o hábito de enviar cartas ao avô contando os resultados da vida profissional. “Começaria um novo trabalho, mas ele não chegou a ler a última carta que enviei”, lamenta.
 
PILAR
Nascido em 21 de fevereiro de 1930, no distrito de Vaca Brava, em Francisco Sá, Dezinho Dias foi um dos pilares do setor agropecuário da região e fundou, ao lado dos irmãos, o primeiro frigorífico de Janaúba, o Frigodias. Foi Presidente da Sociedade Rural de Montes Claros e do Sindicato Rural de Montes Claros, e diretor da Faemg. 

“Um homem que fez história no agronegócio mineiro e sempre nos prestigiou com seus causos e alegria. Foi ele um dos grandes incentivadores para que eu abraçasse a defesa da agricultura e da pecuária na Câmara Federal. Deixo meu abraço aos familiares diante de tamanha perda”, manifestou a deputada Raquel Muniz. (M.V.)