Uma ponte sobre o rio Verde, ligando Brasilândia de Minas a Paracatu, no Noroeste de Minas Gerais, vai beneficiar empresas que atuam na região. A obra de encabeçamento da estrutura, realizada pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER), recebeu investimentos de R$ 2,1 milhões.

A ponte foi inaugurada ontem pelo governador Fernando Pimentel. Ele destacou que a intervenção era uma reivindicação antiga da comunidade e irá facilitar o escoamento da produção local. A demanda, inclusive, foi apresentada nos Fóruns Regionais de Governo.

O chefe do Executivo estadual anunciou ainda o asfaltamento de cerca de cinco quilômetros na região, que vão beneficiar atividades exportadoras dos empreendimentos do entorno. 
 
DESENVOLVIMENTO
O Noroeste mineiro é considerado uma importante fronteira agrícola. Por lá estão instaladas fazendas de produção de arroz, milho, soja, sorgo, feijão, abacaxi, banana e melancia. A criação de gado leiteiro também é uma das vocações da região.

Prefeito de Brasilândia de Minas, Marlen Júnior Pereira da Costa afirma que as obras de ligação asfáltica são representativas para a economia local. “A ponte vai garantir o emprego de mil pessoas que trabalham em empresas no entorno. Estamos conquistando várias ligações por asfalto, e isso é fundamental para escoar a produção de grãos”, declarou.

“O Noroeste é o celeiro do Estado. Hoje, o que se destaca na balança em nosso território é a agricultura, que está presente e forte aqui neste entorno”, completou o deputado estadual Inácio Franco.

Já o prefeito de Urucuia e presidente da Associação dos Municípios do Noroeste (Amnor), Rutílio Eugênio Cavalcanti Filho, reforçou a atuação dos Fóruns Regionais. “Permitiu que a gente levasse nossas reivindicações ao governo”, afirmou. 
 
INVESTIMENTOS
Por meio da Secretaria de Estado de Transportes de Obras Públicas (Setop) e do DEER, o governo já aplicou R$ 1,5 bilhão em obras rodoviárias em Minas. Dentre as ações estão pavimentação, melhoramento, manutenção e ampliação da capacidade das vias, pontes e viadutos.

De 2015, com a retomada das obras que estavam paralisadas no Estado desde novembro do ano anterior, até fevereiro de 2018 foram concluídos trechos numa extensão de 574 quilômetros e realizados recapeamento e recuperação funcional do piso asfáltico em outros 833 quilômetros. 

Também foi feita manutenção de rotina, como tapa-buraco, roçada de faixa de domínio, limpeza do sistema de drenagem, conferência e reposição de sinalização na malha estadual, em mais de 27 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e não pavimentadas.