Mães do Independência enfrentam dificuldades para matricular seus filhos no Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) do bairro. O assunto dominou as redes sociais e, de acordo com as publicações, elas estariam sendo direcionadas a pontos bem distantes da sua residência ou perdendo o direito à vaga.

Carolina de Tarso até que conseguiu matricular a filha de quatro anos, mas só depois de passar por situações de tensão. “Eles (a prefeitura) colocaram ela em uma primeira lista no site, em seguida, alteraram, e só depois de muita insistência é que consegui fazer a matrícula. Meu problema está resolvido, mas lamento pelas outras mães que estão passando pela situação”, disse.

Carolina conta que uma vizinha foi até o Cemei depois de confirmar que o nome da filha estaria na lista, mas ao chegar lá, recebeu a informação de um funcionário que havia muita demanda para o primeiro e segundo período e, diante disso, as vagas para o maternal poderiam ser suspensas, caso a secretaria não conseguisse remanejar os alunos.
 
REDES SOCIAIS 
Muitas mães reclamaram via redes sociais. Em uma publicação na internet, Sandra Tissot reclama que a filha foi encaminhada para um Cemei “do outro lado da cidade”, distante da região onde estudava antes. “Ela estava na Vila Guilhermina, quando mudou a lista foi para o Chiquinho Guimarães”, relata Sandra.

Já Larissa Pereira reclamou da falta de organização do setor. “Lamentável isso! Fiquei quatro dias na fila para conseguir uma vaga. Foi terrível e desumano. Criaram essa outra forma e está essa bagunça danada. Absurdo”, declara.

O secretário Municipal de Educação, Benedito Said, reconheceu que houve problemas nas inscrições, mas afirmou que tudo será solucionado dentro do prazo estabelecido para a confirmação das inscrições.

“Há uma demanda muito grande de alunos para aquela região. Até o dia 21, saberemos onde está sobrando e onde está faltando vaga. É uma situação nova e vamos ajustar”, explicou.