O ex-reitor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Paulo César Gonçalves de Almeida, foi exonerado do cargo de analista universitário sob a acusação de causar prejuízos aos cofres públicos. Segundo despacho publicado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE), ele teria, dentre outras infrações, aplicado indevidamente o dinheiro público durante o período em que geriu a instituição de ensino, de 2002 a 2010. 

Conforme o despacho assinado pelo controlador-geral Eduardo Martins de Lima, o caso configura falta grave. Tanto Almeida quanto os demais servidores citados no documento têm “dez dias para, se tiverem interesse, apresentarem pedido de reconsideração”. Atualmente, o ex-reitor é provedor do hospital Aroldo Tourinho, unidade de saúde que atende pacientes de mais de cem municípios do Norte de Minas e do Sul da Bahia. Por nota, a entidade afirmou que a penalidade se refere a supostas irregularidades na contratação de servidores da Unimontes e que todos os recursos já estão sendo providenciados. 

“O professor Paulo César nega o cometimento de qualquer tipo de ilegalidade, uma vez que, mesmo sendo o reitor da Unimontes, não era o responsável direto por essas contratações”. 

PUNIDOS
Além de Almeida, o despacho da CGE cita ainda João dos Reis Canela, que é o atual reitor da Unimontes e foi absolvido. O documento também exonera uma servidora, aplica a penalidade de repreensão a um servidor e de suspensão a um terceiro. Por meio da assessoria de comunicação, a Unimontes informou que não iria se posicionar sobre o despacho, uma vez que o caso era de responsabilidade da CGE.