A greve nacional dos Correios não deve afetar os atendimentos em Montes Claros. Segundo a empresa, sete dos 130 servidores na cidade aderiram ao movimento, que começou ontem. 

As reivindicações são as mesmas apresentadas em setembro, quando houve uma paralisação da categoria. Na época, os atendimentos foram reduzidos em 40% em Montes Claros. 

A principal reclamação da categoria é quanto à mudança do plano de saúde dos colaboradores, com a retirada de cobertura de pais, cônjuges e filhos, e a cobrança de mensalidades. 

Os servidores querem também a retomada do cargo de Operador de Triagem e Transbordo (OTT), extinto neste ano. 

Em nota, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) questiona a extinção do cargo e afirma que 2.500 agências serão fechadas no país. A entidade teme a terceirização. 

Em Montes Claros, há quatro agências dos Correios, com pouco mais de 130 servidores. Número este que, de acordo com Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos e Similares do Estado de Minas Gerais, é insuficiente para atender os 187 bairros da cidade. 

Em nota, os Correios reconheceram a greve como um direito do trabalhador, mas a empresa alega que o movimento atual é injustificado e ilegal, pois não teria havido descumprimento de qualquer cláusula do acordo coletivo de trabalho da categoria.