Verdadeiros “lixões” a céu aberto já fazem parte do cenário da cidade. Em diversos bairros, a coleta de lixo domiciliar foi reduzida, e em outros, o caminhão já não passa há sete dias. A reclamação sobre esse quadro se transformou em indignação com a chegada da cobrança da taxa de coleta de resíduos sólidos de 2017, contrariando promessa de campanha do atual prefeito de extingui-la.

De acordo com a legislação, os recursos da chamada “taxa do lixo” devem ser investidos na limpeza urbana, na coleta contínua dos resíduos domiciliares e na manutenção dos aterros sanitários. Entretanto, o serviço que deveria ser algo regular, está em falta principalmente nos bairros mais afastados do Centro da cidade, como Alterosa, Maracanã, Dona Gregória, Cristo Rei, entre outros. Com isso, verdadeiros “lixões” são formados nas esquinas e lotes vagos.

A cobrança já foi entregue na casa de Alexandre Drumond, no bairro Jardim Panorama, que mora próximo a um local que se transformou em um depósito de lixo clandestino. O valor do boleto, de R$ 128,15, cai para R$83,30, caso seja pago até o dia 14 de setembro. Mas o que revolta o morador é a falta do serviço.

“Não é tanto pelo valor e sim de praticamente não existir a coleta, pois, o caminhão que passava em dias alternados, agora recolhe o lixo uma vez por semana. O ‘lixão’ daqui do bairro não é só usado pelos moradores, mas também por bairros vizinhos”, desabafa.

Noemi Santiago ficou surpresa com a chegada da cobrança da taxa de lixo, no valor de R$513,12. A aposentada pensou que não haveria mais tal imposto. “Ainda fui à prefeitura saber se eles não tinham enviado errado, porque falaram que iriam acabar com essa cobrança. Lá eles confirmaram que o boleto estava correto”, conta.
 
VILA GREICE
Os moradores do bairro Vila Greice também estão indignados. Eles tiveram que contratar um carroceiro para fazer o serviço de responsabilidade da prefeitura.
“As lixeiras ficam transbordando de tanto lixo. Como fica muito tempo sem recolher, os sacos dão bichos, cachorros rasgam, nossas ruas ficam uma nojeira. Não esperamos mais a prefeitura fazer o serviço que é obrigação dela”, conta Jéssica Mendes.
 
RESPOSTA
Em nota, a assessoria da prefeitura informou que a taxa de lixo é determinada em um ano para ter validade no subsequente, ou seja, a taxa de 2017 foi determinada em 2016, logo, não poderia ser extinta.

A nota ainda ressalta o desconto de 50% oferecido a alguns imóveis em determinadas partes da cidade. Quanto à regularização da coleta, a nota informa que a Secretaria de Serviços Urbanos está finalizando um projeto em caráter experimental.