Vereadores das comissões de Saúde e Direitos Humanos visitaram o pronto-socorro da Santa Casa de Montes Claros ontem para avaliar as condições do hospital e apurar denúncias apresentadas por familiares de pacientes idosos, que afirmam não terem sido autorizados pelo hospital a acompanhar os internados.

“Todo idoso tem direito a um acompanhante. Mas, infelizmente, a Santa Casa não está tendo condições de garantir esse direito porque enfrenta diariamente a superlotação do pronto-socorro”, diz a vereadora Maria Helena (PPL).

O presidente da Comissão de Saúde e Direitos Humanos, Dr. Marlon (PTC), conta que os parlamentares encontraram a porta da entrada do hospital em situação crítica. “O número de pacientes que o hospital atende por dia supera três vezes a capacidade”.

Depois da visita, os integrantes das comissões começam a discutir medidas urgentes para amenizar a superlotação. A Santa Casa esclareceu que, mesmo trabalhando em plano de contingência, busca garantir aos idosos o direito a um acompanhante.

“No caso de pessoas com idade inferior a 60 anos, as exceções devem ser autorizadas pelo supervisor de enfermagem da unidade, após avaliação de necessidade de acompanhante para o paciente”, informou a instituição, por meio de nota.

A Santa Casa de Montes Claros é procurada diariamente por aproximadamente 3 mil pessoas.