Minas Gerais terá um programa de certificação para a olivicultura, atividade agrícola que trata do cultivo da oliveira. O projeto ficará sob a responsabilidade da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo governador Fernando Pimentel que participou, em Maria da Fé, no Sul de Minas, da comemoração dos dez anos da primeira extração de azeite extravirgem no Brasil. 

Também foi lançado o rótulo comemorativo, que será impresso nos azeites produzidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig). A medida permitirá o desenvolvimento de um protocolo de certificação para os produtos agropecuários e agroindustriais.
 
CONVÊNIO 
Além do anúncio do programa, foi firmado um convênio entre a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e a Epamig para adaptação do sistema de produção de mudas de oliveira em um viveiro de Maria da Fé. Outro instrumento de fomento ao setor anunciado durante o encontro foi a assinatura do Termo de Cooperação Técnica com a Câmara Brasil-Itália para intercâmbio e treinamento de pesquisadores e produtores.

A região ainda será beneficiada com o protocolo de intenções assinado entre a Epamig e a Associação de Olivicultores dos Contrafortes da Mantiqueira (Assoolive) para desenvolver e executar ações e programas conjuntos. O objetivo é fortalecer a olivicultura no Estado, estabelecendo um programa de qualidade do azeite. 

“Depois de dez anos da primeira extração, nós temos a oportunidade de certificar o azeite produzido. Com trabalho e determinação, nós podemos diversificar a economia do nosso Estado”, afirmou o secretário de Estado de Governo, Odair Cunha.
 
ECONOMIA 
Durante a visita a Maria da Fé, Fernando Pimentel se reuniu com 12 prefeitos da região para debater os investimentos feitos pelo Estado no Sul de Minas e ouvir as demandas de cada município. O governador também falou sobre o pioneirismo da extração de azeite em Minas e o impacto do setor na economia. 

“Nós estamos celebrando aqui algo muito importante que é a determinação de trabalho dos agricultores e produtores agrícolas. Estamos comemorando dez anos da primeira extração de azeite de oliva em Minas Gerais. Isso não é pouca coisa. Para um Estado que não tinha a oliveira como uma das suas culturas básicas, em dez anos nós demos um salto extraordinário, pois estamos produzindo azeite da melhor qualidade”.
 
MELHORIAS
O presidente da Epamig, Rui Verneque, falou sobre os anúncios feitos. “Esse convênio visa sobretudo amplificar e aumentar a capacidade de produção de mudas qualificadas, sadias, correspondendo ao mercado que é crescente. Nossa ideia é duplicar a produção de mudas anualmente”, disse.

Setor em crescimento
Atualmente, cerca de 40 marcas de azeites são produzidas na região da Mantiqueira com tecnologia desenvolvida pela Epamig. A área conta com média de 160 produtores de oliveiras, distribuídos em 2 mil hectares. Estima-se que 60% deles estão em solo mineiro. 
 
As ações do governo de Estado na região são feitas no Campo Experimental de Maria da Fé, precursora do trabalho no país. No local, são realizadas pesquisas com objetivo de apoiar o desenvolvimento da olivicultura do Sudeste brasileiro.
 
Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leitão, o setor tende a apresentar avanços significativos nos próximos anos. “A agricultura é um setor cada vez mais estratégico para o Estado e é um dos setores que mais cresce. Por isso, a gente tem prestado atenção na diversificação e na determinação do produtor rural”.