Com foco na preservação e na sustentabilidade ambiental, a Semana do Meio Ambiente é celebrada em Belo Horizonte e no interior de Minas. A programação extensa inclui a assinatura de importantes documentos e atividades lúdicas e educativas em espaços no entorno da Praça da Liberdade, na capital.

A abertura das comemorações, que ocorreu na data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), foi marcada por importante avanço na área de gestão de resíduos sólidos urbanos. Na ocasião, o governo do Estado e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) assinaram o termo de cooperação técnica que estabelece um plano de trabalho voltado especialmente para o consorciamento de municípios, com vistas à criação de aterros, e ainda para o incentivo à reciclagem. 

As medidas têm o objetivo de promover a destinação adequada desses materiais, bem como a redução da quantidade de resíduos produzidos.

Inicialmente, 148 municípios que já têm consórcios formalizados junto à Secretaria de Estado de Cidades e de Integração Regional (Secir) serão priorizados para que os aterros ganhem em eficiência. 
 
EFICIÊNCIA 
Outro objetivo é o aproveitamento energético dos resíduos orgânicos, com retorno de nutrientes para o solo e redução da geração de chorume, usando técnicas mais modernas. O aumento da eficiência da reciclagem no Estado, que também é uma das metas do termo, pode significar a retirada de 30% dos resíduos encaminhados para os aterros.

“A gestão de resíduos sólidos é um desafio de décadas. Os dados de 2001 foram catastróficos. Tínhamos 823 municípios que operavam com lixões e apenas 30 com soluções adequadas, o que representava aproximadamente 27% da população do Estado”, afirmou o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira.

Com o fortalecimento das ações ambientais, em 2017, Minas Gerais passou a ter 60% da população urbana atendida por sistemas de tratamento e/ou disposição final de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) regularizados ambientalmente. Desde 2001, houve a redução de cerca de 50% do número de lixões no Estado. 

Outro avanço obtido pelo Estado é o crescimento do número de aterros sanitários no território mineiro. Em 2001, somente oito municípios faziam o descarte dos RSU em aterros sanitários e 22 possuíam Usina de Triagem e Compostagem (URC). Hoje, esses números cresceram para 197 e 125, respectivamente. 

SAIBA MAIS
Unidades de conservação ganham reforço 

Além do termo de cooperação técnica, outros documentos importantes continuam sendo assinados ao longo da semana. A lista inclui os decretos para criação das unidades de conservação Botumirim, no Norte de Minas, e Serra Negra da Mantiqueira, na Zona da Mata Mineira, entre outros. Em importante parceria entre o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e a Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG), será assinado um despacho governamental que autoriza a publicação de edital de consulta pública para lançamento de Parceria Público-Privada (PPP) voltada à gestão do Parque Estadual do Sumidouro e das Grutas da Rota Lund, na RMBH.