A igreja entrou renovadamente na festa

Vitrine Literária / 23/05/2018 - 00h48

Ainda me lembro, com saudades, daquelas tardes de domingo quando minha mãe, carinhosamente, aparava as minhas unhas e ajeitava-me os cabelos para que eu pudesse ir à matriz de Santo Antônio professar as atividades religiosas. Naquela época eu participava, com muito entusiasmo, das Cruzadas, uma atividade religiosa com o objetivo único e exclusivo de catequizar os jovens para o caminho do amor e da caridade. Mais de meio século depois, o confrade Antônio Alvimar Souza escreve o livro “A Igreja Entrou Renovadamente na Festa: Igreja e Carisma no Sertão de Minas Gerais”, belíssima obra doutrinária e histórica e, ao mesmo tempo, um documentário que, certamente, saberá valorizar o carisma da Igreja no sertão do Estado. 

Nota-se que neste trabalho, do padre Alvimar, nasceu do desejo de exaltar e glorificar a Igreja, o de dar a conhecer as suas inquietações e, ao mesmo tempo, entregar a sua mensagem aos quatro ventos da catequização religiosa para melhor orientar os seus discípulos na oração da fé. O papel da Igreja Católica é muito importante para a sociedade e os seus doutrinadores têm uma carga de responsabilidade muito árdua e gratificante. Em vista disso, o padre, atendendo que preconiza o estatuto do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros, traz a lume essa belíssima obra sobre a Igreja em Montes Claros. 

Para ilustrar a capa de sua obra, o padre Alvimar homenageou a Paróquia de São José Carpinteiro e Maria de Nazaré no bairro Independência. É bem verdade que esta obra “trata-se de uma dissertação onde reúne os elementos necessários e requeridos para a celebração de uma tese mediante a qual se progride no conhecimento da história da Igreja Católica, em particular, no Norte de Minas Gerais. Consequentemente, a partir deste trabalho, os pesquisadores disporão de mais um meio para se aproximarem do desenvolvimento da Comunidade Católica brasileira, durante o período do Episcopado de dom José Alves Trindade de1956-1988”. (Texto do padre Francisco Oliveira Silva, extraído do prefácio).

É interessante e o leitor deve prestar bastante atenção no capítulo que trata do bispado de dom José Alves Trindade, que procurou controlar as crises constantes e formar um grupo de trabalho no sentido de disciplinar e moralizar a Igreja Católica. Nessa acepção dos fatos, o autor do livro certamente que estará contribuindo para a preservação e a valorização da religiosidade em nossa cidade. O escritor Antônio Alvimar Souza é doutor em ciências humanas – história social, pela Universidade de São Paulo (USP).

Publicidade
Publicidade
Comentários