Os desafios de 2018

Sapatada na rechonchuda / 09/01/2018 - 05h04

Vai começar 2018 (pelo menos no quesito esporte, já que antes do Carnaval, o ano ainda não tem seu início plenamente confirmado), e o que podemos esperar do mundo esportivo nesta atual temporada? O que podemos de fato esperar de cada segmento esportivo para mais um início de trabalho frente à valorização esportiva neste período?  

Montes Claros Rugby
O Montes Claros Rugby pleiteia o apoio do município a sua participação em dois campeonatos oficiais que serão realizados e apoiados pela Federação Mineira de Rugby. O Campeonato Mineiro de RugbySeven e a Liga do Triângulo do esporte, com grandes possibilidades de que seja criada a Liga Norte Mineiro do esporte, possibilitando que o esporte seja amplamente divulgado em nossa região. 
 
Handebol
O Handebol inicia suas atividades anunciando alguns patrocinadores do time. Sem verba destinada ao mesmo por parte da Secretaria de Esportes, o jeito é se apoiar naqueles que determinadamente acreditam que o incentivo esportivo seja rentável, no mínimo do ponto de vista social, e com isso planejar seu trabalho no front. Será mais um desafio que necessitará ser vencido pela nossa querida Francis e sua apoiadora equipe de destemidos integrantes. 
 
Basquete Ateneu
O Montes Claros/Ateneu Basquete também tem em sua planilha a participação da equipe em Campeonatos oficiais: Mineiro, Jogos Escolares e Jogos de Minas. O gestor do time, o ex-atleta do Minas Tênis Clube, Kaká Carone, adiantou a nossa coluna que existe não só a possibilidade de apoio por parte de empresas mineiras ao clube, como a participação de atletas de alto nível nesta temporada. Será mais um desafio que vai precisar de muita garra pra ser executado. 
 
Ciclismo
Será mais um desafio manter as etapas principais neste ano por parte do ciclismo. O Circuito Bicimax, que é o principal representante do esporte na região, anuncia a diminuição de seu número de etapas para 2018 de 10 para 6 e ainda aguarda um apoio efetivo do município no quesito ambulância, que foi tão bem implantando nos últimos 15 anos e que na temporada passada e, provavelmente nesta, vai ficar devendo. Certamente um ponto muito negativo para os trabalhos do Secretário Igor Dias, que poderia ter feito um pouco mais de esforço para que esse esporte pudesse ter respaldo na temporada passada. São 30 anos dedicados ao esporte gente, e não 30 dias. Fica a dica

Publicidade
Publicidade
Comentários