Projeto de arborização do Ibituruna, dia 21, sábado

Ruth Jabbur / 25/04/2018 - 00h00

No sábado, feriadão de 21 de abril, mais uma vez os moradores do Ibituruna abriram mão do dia de descanso e reuniram para dar continuidade ao projeto de arborização do bairro. Unidos, no mesmo espírito “do cuidar” e “do servir”, na busca da construção de nossas identidades e na preservação da autoestima para um desenvolvimento equilibrado em prol do bem comum. Com muita dedicação, o prolongamento da avenida Norival Vieira ganhou novas mudas de árvores. Agradecemos a todos que participaram desse momento mágico e que, de bom coração, doa seu dia, enche-nos de esperança e nos fortalece em nossa caminhada. 

O tempo não é perdido pelo passar dos anos, mas pelo que a pessoa faz. Como podemos dedicar nossas vidas a causas grandiosas? Somente servindo a um bem maior. Com o tempo, o arrependimento das coisas que fizemos pode ser aliviado, mas o arrependimento das coisas que não fizemos é irremediável. Se você puder, colabore conosco.

Pedágio do bem
Enquanto um grupo de colaboradores voluntários fazia o plantio das mudas, um outro realizava o pedágio do bem. Paramos alguns veículos que transitavam pela avenida para pedir uma contribuição, pois precisamos pagar o caminhão-pipa, que levou a água para molhar o canteiro. Quero agradecer a todos que participaram com boa vontade e nos ajudaram nesse projeto. Contamos sempre com o apoio de todos.

22 de abril, domingo
É muito triste ver todo o esforço de um trabalho sendo totalmente destruído. Foi com muito suor e com a ajuda da população que foram adquiridas mudas de plantas para a arborização do bairro. E graças à colaboração de moradores voluntários, está sendo feito o plantio como tenho mostrado aqui em minha coluna já há alguns meses. No sábado, dia 21, foi realizado mais um mutirão para o plantio das mudas no canteiro da avenida Norival Vieira. Logo depois, a área foi cercada por fitas de sinalização. Para tristeza de todos, no domingo, 22, apenas 12 horas após, flagramos animais (bois e vacas) soltos no canteiro, comendo e pisoteando no nosso árduo trabalho. Todo o esforço serviu de pastagem para animais. Agora, eis a pergunta: O que fazer? A quem recorrer? Lamentável! Mais um fato de descaso total que vive a nossa cidade. Se com os animais de grande porte como esses, não há o controle dos órgãos responsáveis, imagina os pequenos que causam ainda mais transtorno, inclusive doenças. Lastimável e inaceitável tal fato. 

Fica registrado aqui a nossa indignação.

 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários