Ampliação da área da Sudene

Raquel Muniz / 31/10/2017 - 01h31

Ao longo dos anos a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste – Sudene, que tem a função de promover e coordenar o desenvolvimento do Nordeste, foi ampliando sua jurisdição para outras unidades da federação, como é o caso de Minas Gerais e Espírito Santo. Tal fato ocorreu devido ao aumento da estiagem. 

No entanto, não foi uma tarefa simples fazer parte do perímetro de atuação da Sudene. Foi necessária uma análise mais criteriosa para que a inclusão ocorresse. Além dos fatores climáticos e suas consequências, que ao meu ver já seriam suficientes, outros quesitos também foram analisados, como é o caso da vulnerabilidade social, pleiteado pela Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene – AMAMS. Graças a sua intervenção, 50 municípios mineiros permaneceram na jurisdição da Sudene, o que representou uma grande vitória.

Não é exagero afirmar que a referida área está em processo de desertificação, haja vista que foi explorada de forma indevida na extração de mica, madeira, minério de ferro e pedras preciosas. Estamos aguardando, agora, a aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 76/07, que amplia a quantidade de municípios na área de abrangência da Sudene para que tudo seja consolidado.

Nós, deputados federais mineiros, nos unimos na defesa desse projeto e conseguimos ampliar para 85 municípios que passarão a ter acesso a linhas de crédito especiais, a incentivos fiscais e aos recursos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste, assim como já ocorre com as demais localidades que hoje integram a Sudene. Minas Gerais foi a Unidade da Federação com maior número de inclusões.

Mesmo antes de ser eleita representante dos mineiros no Congresso Nacional, sempre me preocupei com a vida difícil da população do semiárido, que não pode contar apenas com a ilusão de nuvens no céu, que nunca chegam.

Conheço bem a região e sei que o simples gesto de abrir uma torneira é um verdadeiro dilema para aquela boa gente. É necessário caminhar por muitos quilômetros, por exemplo, para conseguir uns poucos baldes de água. 

São pessoas simples, em sua maioria, que lutam por uma vida mais digna e, por isso, contarão sempre com o nosso apoio.

Publicidade
Publicidade
Comentários