Voando baixo

Preto no Branco / 13/09/2017 - 03h43

O norte mineiro que vivia a expectativa de passar a contar ainda este ano com voo de Montes Claros para Guarulhos, em São Paulo, pela empresa Passaredo, recebe uma notícia nada amimadora. É que o negócio está voltando à estaca zero. O motivo seria o fato de os proprietários da empresa não terem conseguido fechar negócio com o Grupo Itapemirim. Como até agora ninguém manifestou interesse em investir no projeto, é bom não continuar alimentando esperanças do referido voo.
 
Pré-candidatos
Temos tido a preocupação de lembrar aos leitores que análise política só serve para o momento e uma simples movimentação pode mudar todo o processo. De qualquer forma, mesmo não tendo bola de cristal, é possível perceber o que pode e o que não pode ser viabilizado. Estamos notando vários nomes do Norte de Minas serem colocados como candidato na disputa proporcional. A este respeito é possível afirmar que a maioria não sobreviverá à primeira tempestade. Agora mesmo estão insistindo que o ex-diretor do Idene, Ricardo Campos (PT), não abre mão de sua candidatura a deputado estadual e que o ex-vereador por São João da Ponte, Toni da Farmácia, também será candidato. Entre ser candidato e ter alguma chance é outra conversa.
 
Copasa
Certamente, se não fosse a crise hídrica em Montes Claros, onde falta água até mesmo para o consumo humano, a Copasa não estaria sendo o centro das atenções. Primeiro é preciso ficar bem claro de que o problema não deve ser creditada exclusivamente à atual diretoria. Há mais de dez anos temos alertado para o problema. Até mesmo deputados que hoje usam a mídia para falar do problema fizeram parte de governos que também viraram as costas para o problema. Não é justo usar o assunto como holofote para exploração política.
 
Ação pública
É possível dizer que o prefeito Humberto Souto acerta no momento em que anuncia que entrará com ação na Justiça para tentar barrar o aumento nas contas da Copasa, justamente no momento em que a empresa não consegue atender a demanda da população. Por outro lado, entendo que ele joga para a plateia quando afirma que vai entrar com outra ação pública, pedindo indenização de R$ 50 milhões pelo não investimento na estrutura de abastecimento da cidade. Sabe que neste caso será apenas uma demanda a mais a ocupar as prateleiras do Judiciário.
 
Manga
O prefeito de Manga, Quinquinha, informou a coluna que retorna a Brasília na próxima semana para definir com a direção do Dnit a retomada das obras de asfaltamento de trecho de 42 quilômetros da BR-135, entre Itacarambi e Manga. A reunião está sendo agendada pelo deputado federal Toninho Pinheiro e o deputado Arlen Santiago. Ainda na capital federal está previsto, para o dia 19, reunião no Ministério da Saúde para discutir implantação de uma UPA no município.
 
Pagamento de servidores
Durante reunião da Câmara na manhã de ontem, vereadores cobraram do prefeito justificativa para o fato de até agora nada foi pago a parte dos funcionários que tiveram seus contratos rescindidos no início do ano. Vários dos demitidos sequer receberam o mês de dezembro do ano passado. Como a prefeitura vem arrecadando bem com as negociações das dívidas do IPTU, vereadores acreditam que a decisão seja política.

 

 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários