Repercussão no MDB

Preto no Branco / 01/05/2018 - 00h44

Diante do quadro político em Minas, aliado aos últimos acontecimentos, a exemplo do pedido de impeachment do governador Fernando Pimentel, todas as atenções estão voltadas para o resultado da reunião que o MDB promove hoje, no Hotel Ouro Minas, em BH, para discutir a realização de prévias sobre a posição da agremiação nas eleições deste ano. A principal decisão é se terá candidatura própria ou se buscará entendimento com outro partido. Falam inclusive em conversa com o PSDB e o próprio PT, cujo casamento está ameaçado de chegar ao fim.

Subestimando
Sem fazer qualquer juízo de valor, considero um atentado contra a nossa inteligência denúncias que chegam à Comissão de Direitos Humanos, da Assembleia Legislativa, vindas principalmente do MST e da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e com apoio do deputado Rogério Correia (PT). Acham comum sair por aí invadindo terras que elegem como improdutiva e não aceitam qualquer tipo de contestação dos proprietários. Na última quarta-feira, durante reunião da comissão denunciaram que “famílias do MST ocuparam a Fazenda Bom Jesus, na estrada da Produção, saída de Montes Claros para Capitão Enéas, e que latifundiários da região lideraram milícias armadas sob a prerrogativa de defender a paz no campo. A farsa da denúncia não se sustenta uma vez que deste o início da invasão a Polícia Militar compareceu ao local. Dizer que havia pessoas armadas e ó mesmo que afirmar que a PM assistiu a tudo de braços cruzados.
  
Resistência
Talvez a única verdade na denúncia feita pelo MST e CPT, com apoio do deputado Rogério Correia (PT), é de que um grupo de fazendeiros foi para o local e bloquearam a estrada com tratores e caminhões. Também é verdade que agiram para impedir a entrada de alimentos no local. Como o governo não implanta a verdadeira reforma agrária e pessoas estão sendo usadas para invadir propriedade alheia, é justo que os produtores se unem em defesa do que adquiriram com a força do trabalho.
 
Fotovoltaica
Em conversa com o presidente do Bando Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, que esteve em Montes Claros na última sexta-feira, este garantiu que dentro de 30 dias já estará liberado para a população o financiamento de projetos de usina fotovoltaica residencial. Será de acordo a necessidade do cidadão e a faixa salarial.
 
Secretário 
O secretário de Finanças de Montes Claros, Cori Ribeiro, que deste fevereiro anuncia o seu desligamento da pasta, informou à coluna que já está na fase final da organização do setor para ser entregue ao próximo ocupante da pasta. Acredita que até o julho deixará a prefeitura.
 
Problema social
Montes Claros em toda sua história nunca conviveu com tantos mendigos e moradores de rua, como se isso fosse um fato comum e corriqueiro. A Secretaria de Desenvolvimento Social tem sido incompetente na solução do problema. A justificativa é sempre que encontra dificuldade junto ao Ministério Público. É certo que deve procurar uma solução que atenda a estas pessoas com dignidade.

Publicidade
Publicidade
Comentários