Prefeitos em apuros

Preto no Branco / 29/12/2017 - 01h12

O prefeito de Mato Verde, Oscar Lisandro Teixeira queixou de que nenhuma das prefeituras da região conseguirá fechar o ano com as contas em dia. Ele culpou o Governo do Estado pela situação crítica, ocasionada pela retenção de recursos do ICMS e o não repasse para as áreas de saúde e transporte escolar. Oscar comentou que só conseguiu quitar o 13º salário porque deixou de pagar fornecedores, o que somente agora foi retomado.

Atrasos
O prefeito de Mato Verde Oscar Teixeira acusou o Governo de Minas, de reter ICMS de seis terças-feiras; de pagar apenas cinco das 10 parcelas do transporte escolar, além de não ter repassado este ano nenhuma parcela de recursos de assistência social (nove mil mensais). Outra queixa do chefe do executivo foi o não pagamento este ano de nenhuma parcela do programa Farmácia de Minas, bem como o piso de valorização do servidor da saúde.
 
Voos suspensos
Nem bem o empresariado do Norte de Minas teve oportunidade de comemorar a possibilidade de voos direto de Montes Claros para o Aeroporto da Pampulha em Belo Horizonte, já recebe a informação de que o TCU suspendeu, na quarta-feira (27), através de liminar, a volta dos voos. O efeito é até que o mérito da representação contra a reabertura do terminal seja julgado pela Corte. O Tribunal deu prazo de 60 dias para que o ministério apresente estudos que demonstre a viabilidade dos voos doméstico naquele aeroporto.
 
Sucessão Mineira
A todo instante os principais jornais do Estado vem divulgando prognóstico da sucessão mineira com a mesma naturalidade de ir até a esquina compra um pirulito. Agora mesmo acertam na informação de que o deputado federal, Rodrigo Pacheco (PMDB) presidente da CCJ da Câmara, deverá filiar no DEM para ter chance real de ser candidato ao Governo de Minas. Acertam ainda de que é bem-visto por várias lideranças de oposição no Estado, a exemplo do Senador Aécio Neves. Entretanto, cravar de que terá apoio do PSDB, Pode, AVT, PP, PTB, PRB, Livres e SDD e simplesmente antecipar uma discussão, “onde o saco de interesses” é bem maior do que possamos imaginar.
 
Condicionantes
É preciso entender que em decorrência do envolvimento das principais lideranças do país, incluindo vários de Minas Gerais, em denúncias graves, o tabuleiro da sucessão nacional e nos Estados, continuará uma incógnita até as vésperas das convenções. Reforço a teoria e o lembrete de que todos os nossos comentários e análise só servem para o momento.
 
Greve dos professores
Professores da rede estadual de ensino já informaram ao Governo do Estado que não vão retornar a sala de aula no início do ano (entre janeiro e fevereiro) se não for efetuado o pagamento do 13º salário e o reajuste para equiparação com o piso nacional. O pior é que o governador Fernando Pimentel não tem deu prazo para atender o professorado, o que poderá deixar cerca de 2 milhões de alunos sem aulas.

Publicidade
Publicidade
Comentários