Mudança do quadro

Preto no Branco / 07/02/2018 - 06h30

Temos alertado os leitores de que análise política só serve para o momento e que mudança de rota pode acontecer em questão de minutos. Na semana passada, divulgamos informação, vinda da capital, sobre a possibilidade de o deputado federal Rodrigo Pacheco filiar-se ao PSDB para acalmar a ala que prefere apoiar Dinis Pinheiro (PP) na disputa pelo Governo de Minas. Agora a conversa na capital tem sido outra. A última informação é que a ala do MDB ligada ao vice-governador e presidente do partido em Minas, Antônio Andrade, quer que Pacheco seja o candidato da agremiação em uma frente com o PSDB e o DEM. As articulações estão acontecendo, mas vêm encontrando como principal resistência o grupo emedebista que apoia o governo de Fernando Pimentel (PT), que defende a reedição da coligação. O certo é que o presidente da CCJ da Câmara Federal não abre mão de disputar o Governo de Minas.

Como seria
Se, de fato, houver a possibilidade de acordo entre MDB, PSDB, DEM e outras agremiações, o MDB, entraria com o candidato ao Governo (Rodrigo Pacheco), o PSDB indicaria o vice da própria agremiação, ou de partido aliado e ainda teria uma das vagas pela disputa no Senado. Vale lembrar que em uma das duas vagas pelo Senado, outro nome em voga é do ex-governador Alberto Pinto Coelho (PP).
 
Resistência a Aécio
Vários leitores querendo saber o que existe por trás da insistência do MDB de reeditar a coligação com o PT, mesmo a agremiação não vivendo um bom momento, e o porquê da resistência em buscar coligação em outro campo. Diria que são vários os motivos, mas principalmente pelo espaço que uma ala emedebista tem dentro do Governo Pimentel e ainda pela resistência em caminhar junto com o senador Aécio Neves (PSDB).
 
Athos Avelino
Mesmo residindo em Belo Horizonte, o ex-prefeito de Montes Claros Athos Avelino continua se movimentando já pensando em se envolver na disputa eleitoral deste ano. Ele insiste no projeto de ser candidato a deputado estadual. Ele teria procurado o deputado Marcelo Álvaro Antônio (PR), que deverá ser o coordenador do Patriota no Estado, para solicitar legenda e o direito de coordenar a campanha de Bolsonaro no Norte de Minas, o que ainda não foi definido.
 
Fechando as portas
A incerteza de reeleição levou o PSDB de Minas a definir que não aceitará nenhuma filiação de deputado com mandato, tanto estadual como federal. A preocupação é com a reeleição dos atuais integrantes, já que existe a possibilidade do partido encolher no Estado.
 
Engavetando projeto
Vereadora por Montes Claros, Graça Gonçalves Dias (PHS), conhecida como Graça da Casa do Motor, que havia anunciado candidatura a deputada estadual, informou à coluna que decidiu engavetar o projeto. A vereadora afirmou que o momento não é propício e sua participação no processo será apenas como “apoiadora”. Vale lembrar que ela cumpre o primeiro mandato.

Publicidade
Publicidade
Comentários