Lenha para queimar

Preto no Branco / 12/05/2018 - 06h46

Afirmar que não basta ter somente dinheiro para conseguir conquistar uma cadeira no legislativo, seja estadual ou federal, é a mais pura verdade. Entretanto, também é verdade de que na atual conjuntura dificilmente um candidato conseguirá tal proeza se não tiver lenha para queimar, ou seja dinheiro, principal combustível para movimentar uma campanha. Estamos assistindo aqui pelas bandas do Norte de Minas a pessoas se apresentando como candidatas, sem estrutura inclusive para bancar os gastos com gasolina, que é o menor dos problemas de uma campanha. Os menos avisados têm que entender que a brincadeira é cara.

Encontro com Pimentel
A imprensa divulgou ontem que o governador Fernando Pimentel (PT) teria se reunido na última quinta-feira com os prefeitos, presidentes de associações regionais de municípios para anunciar a regularização da situação do IPVA, cujos recursos vinham sendo retidos pelo Governo. Mas, segundo nota da AMM, ainda falta uma parte. A triste notícia que não foi divulgada pela imprensa é que no encontro o chefe do Executivo informou que o pagamento dos cinco meses atrasados do transporte escolar só deverá sair entre junho e julho.
 
Caso de polícia
A promoção do tenente-coronel Borges a coronel e a sua designação para comandar o 11º RPM em Montes Claros continuam rendendo conversas tanto junto à base do Governo quanto na mídia. O último que usou as redes sociais para tecer pesadas críticas ao comando-geral da PM e ao governador Fernando Pimentel foi o deputado estadual Cabo Júlio (MDB), que considerou o ato um desrespeito às lideranças da região. O parlamentar anunciou oficialmente o seu desligamento da base do Governo. Comentou que de agora em diante se o chefe do Executivo mineiro precisar do seu voto na Assembleia, que fosse procurar o comandante-geral da Polícia Militar, Helbert Figueiró.
 
Indicação Sedinor
A nomeação de César Emílio Lopes (PT), ex-prefeito de Capitão Enéas, como Secretário de Estado de Desenvolvimento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor) foi exclusivamente para atender o deputado Paulo Guedes (PT) em seu projeto de chegar a Câmara Federal. A nomeação ocorreu na última quinta-feira, faltando pouco mais de seis meses para o fim do mandato. Na gíria, podemos dizer que Guedes assumiu a secretaria de porteira fechada, já que o diretor do Idene, Gustavo Xavier, também foi sua indicação. Vale lembrar que além de cabo eleitoral de Guedes, o novo secretário é “da cozinha” do governador Fernando Pimentel (PT). 
 
Saraiva Felipe
Mesmo sendo ouvido em relação à novela envolvendo o PT e o MDB em Minas, o deputado federal Saraiva Felipe (MDB) não esconde que hoje a principal preocupação da bancada é a de formalizar coligação que viabilize as candidaturas na proporcional. Entre os federais votados no Norte de Minas, ele e a deputada Raquel Muniz (PSD) têm sido os mais presentes nos eventos promovidos na região, a exemplo da posse, na última segunda-feira, de Marcelo Félix na presidência da Amams, que contou ainda com o deputado estadual Gil Pereira (PP).

Publicidade
Publicidade
Comentários