Apêndice do poder

Preto no Branco / 04/05/2018 - 07h00

A coluna antecipou que a prévia do MDB realizada na última terça-feira, em que os presentes definiram pela candidatura própria e o rompimento com o PT de Fernando Pimentel, se sustentaria apenas na teoria, pois na prática falta coragem de buscar caminho próprio. Não precisa ser analista político para afirmar que em Minas Gerais os emedebistas, principalmente os parlamentares, são reféns do PT. Estes estão preocupados exclusivamente com a reeleição e sabem que sem coligação a coisa fica difícil. 

Impeachment de Pimentel
Outro faz de conta na novela protagonizada pelo MDB de Minas é o processo de impeachment do governador Fernando Pimentel, aceito pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. A decisão foi a forma encontrada pelo presidente do legislativo mineiro, Adalclever Lopes (MDB), de tentar impor a sua vontade em um eventual entendimento entre MDB e PT. Aliás, eu não sei se chamo o processo de faz de conta ou brincadeira de criança. Basta dizer que, na divisão da comissão especial do impeachment, dos sete integrantes só dois se opõem ao Governo.
 
Concurso prefeituras
Até agora estou tentando entender a matemática do Ministério Público ao recomendar às prefeituras do Norte de Minas que realizarem concurso público unificado pela Cotec. O mais triste é que os prefeitos, mesmo sabendo que tal orientação representa um suicídio político, assistem calados sem se manifestar ou contestar. Primeiro, estes mesmos chefes de Executivo foram orientados a realizar concurso no final de 2016 e hoje amargam o fato de estarem com a folha de pagamento acima do que permite a Lei de Responsabilidade Fiscal. As prefeituras não estão tendo dinheiro sequer para manter o básico.
 
Como pagar
Entendo que não faz sentido pensar na realização de novos concursos por parte das prefeituras do Norte de Minas sem antes resolver os problemas do concurso anterior. Mais de 70% das prefeituras estão descumprindo o índice constitucional com pessoal, ou seja, passando os 54 % da receita corrente líquida. O limite prudencial é 51.3 e a maioria já ultrapassou este limite. Pensar no bem das prefeituras é se envolver na luta para que o Estado repasse o dinheiro retido da Saúde, do transporte escolar, de parte do IPVA, do ICMS e tantos outros. Aliás, existe uma distância muito grande entre recomendar e governar.
 
Expomontes
Na próxima terça-feira, a partir das 20 horas, a Sociedade Rural de Montes Claros realiza a solenidade de lançamento oficial da 44ª Exposição Agropecuária. Na oportunidade, acontece ainda a apresentação das rainhas e a entrega técnica, pela Mori Energia Solar, da usina fotovoltaica. O evento é destinado aos produtores rurais, empresários, imprensa e patrocinadores.
 
Invasão de terrenos
A burocracia e a demora em decisões da Justiça têm provocado o aumento do número de invasões de terrenos públicos em Montes Claros, conforme admite o próprio setor responsável da prefeitura. Segundo a fonte, tais invasões têm ocorrido com mais frequência nos finais de semana para evitar a fiscalização.

Publicidade
Publicidade
Comentários