Afunilando o processo

Preto no Branco / 07/06/2018 - 06h59

Por várias vezes comentamos neste canto de página que a disputa pela chefia do governo de Minas não comporta tantos candidatos considerados na “prateleira de cima”, a exemplo de Antônio Anastásia (PSDB), Fernando Pimentel (PT), Márcio Lacerda (PSB), Rodrigo Pacheco (DEM) e Dinis Pinheiro (SD). Como as convenções iniciam no próximo mês, os entendimentos começam a avançar. Por um lado Lacerda garante acerto com o PDT e com o PROS, enquanto que Anastásia anunciou apoio do PPS, PSD, PSC, PTB e conversa com PP e o próprio SD de Dinís.

Efeito Palocci
Como em política antecipar decisão é apenas um exercício de futurologia, estamos assistindo uma certa preocupação da cúpula petista em Minas, com a possibilidade do desembargador Gebran Neto da TRF-4 acatar a delação premiada do ex-ministro, Antônio Palocci. É que o conteúdo poderá não somente atingir em cheio o ex-presidente Lula, mas também a ex-presidente Dilma Rousseff, que continua alimentando a pretensão de disputar uma cadeira no Senado por Minas Gerais. Na prática não haveria tempo para um julgamento, mas a simples divulgação de denúncia poderia comprometer sua campanha.
 
Restaurante Popular
O abandono do Restaurante Popular em Montes Claros mostra, acima de tudo, o descaso da municipalidade, em especial da Secretaria de Desenvolvimento Social com aquele espaço. Hoje o prédio está totalmente tomando por moradores de rua, que inclusive arrombaram uma das portas para oficializar a morada. A situação chegou a tal ponto que um das pessoas resolveu escolher a laje do prédio como morada.
 
Brincando de política
Sempre fazemos questão de respeitar os envolvidos no processo político, nos limitando na análise dos atos do processo. Entretanto, existem situações que devemos ser diretos, sem a preocupação de agradar, ou não. É o caso do comerciante de Janaúba, Juliano Santos Barbosa, o popular “Poço”, que ficou conhecido pela expressão “cê tá doido”, que viralizou nas redes sociais. Ele já declarou que será candidato a deputado federal pelo Avante. Com todo respeito que merece, entendemos que a sua decisão servirá apenas como combustível para jogar conversa fora em mesa de boteco.
 
Caso de polícia
Aconteceu na manhã de ontem a troca de comando na 13ª Companhia da Polícia Militar, sediada em São Francisco. O major Antônio Aguiar, que passará a responder pelo Colégio Tiradentes em Montes Claros, foi substituído pelo Major Adão Geraldo Fernandes, que estava lotado em Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte.  
 
Companhia permanece
A coluna mais uma vez sai na frente e traz informação de que a com a mobilização, o comando-geral da Polícia Militar decidiu pela permanência da 67ª Companhia, do bairro Major Prates, que estava na lista de uma das unidades a serem desativadas no Estado. Vale lembrar que a unidade atende também o grande Maracanã, Morada do Sol, Morada do Parque, Ibituruna, Vila Brasília e outros bairros da região.

Publicidade
Publicidade
Comentários