Visita

Plenarinho / 07/07/2018 - 07h43

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, foi importante visita a região na quinta-feira. Depois de atender convite da deputada federal Raquel Muniz, o mesmo se mostrava bastante satisfeito com o desempenho de sua pasta e, como ficou apenas duas horas na cidade, prometeu retornar depois das eleições. Ele ainda visitou o projeto Jaíba e ficou bastante impressionado com o que viu. “É realmente um orgulho para o Brasil”, comentou para Dirceu Moreira, presidente da Associação dos Bananicultores de Minas Gerais. O prefeito Humberto Souto não compareceu e nem enviou representante.
 
Comitiva 
Na comitiva do Ministro, alguns nomes da política mineira, como o pré-candidato ao governo de Minas Gerais, Rodrigo Pacheco, os deputados Luiz Fernando Tibé e o superitendente dos Correios em Minas Gerais, Juarez Coelho. Com pouco tempo para falar, Rodrigo Pacheco prometeu que se eleito for como governador vai dar segurança ao homem do campo que necessita de amparo e apoio para continuar sendo um esteio para econômica nacional.
 
Independência 
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais quer ficar cada vez mais independente do Poder Executivo. Agora mesmo (TJMG) apresentou duas emendas ao projeto do Executivo que dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 2019. Uma dessas emendas insere um artigo a fim de garantir expressamente ao Poder Judiciário a autonomia para remanejar os recursos financeiros que lhe forem atribuídos, em percentual a ser fixado na Lei Orçamentária Anual (LOA). A outra emenda tem o objetivo de evitar que se aplique aos fundos especiais do Judiciário uma limitação estabelecida na proposta original do Executivo. Essa regra determina que a aplicação desses e de outros recursos estaria limitada aos valores executados no exercício de 2017. A ideia é garantir que os recursos decorrentes das taxas judiciárias sejam utilizados exclusivamente no custeio dos serviços próprios da Justiça, conforme determina a Constituição. 
 
Restaurante universitário 
A Unimontes em comunicado que não leva assinatura de ninguém, diga-se de passagem mais uma vez, anuncia o fechamento do Restaurante Universitário por falta de recursos para pagar a empresa responsável pelo mesmo. Milhares de estudantes vão ter que aumentar o orçamento a partir de agora, já que tinha um preço diferenciado nas refeições. Com dívida de mais de R$ 400 mil reais, a reitoria afirma que tudo é provisório e que quando acabar a crise os pratos volta a mesa dos universitários. ENTÃO TÁ

 

Publicidade
Publicidade
Comentários