Senado

Plenarinho / 12/06/2018 - 06h20

O futuro do professor Ruy Muniz nas eleições de outubro será decidida dentro de alguns dias. Disputado pelos partidos políticos, ele, pré-candidato ao Senado, tem conversado com todas as correntes partidárias e se coloca para os partidos como excelente alternativa para ocupar este espaço. Na verdade, Muniz tem trabalhando em todo o Estado visando antecipar o conhecimento sobre ele, e vem tendo êxito. 

Senado II
É preciso registrar que tanto Márcio Lacerda, como Anastasia, Dinis, Adalclever, dentre outros, têm ele como a maior liderança regional. Em rápida conversa com Ruy, neste final de semana, ele diz que vai trabalhar mesmo é para eleger o maior número de deputados federais e estaduais para e região, acabando com este trauma de paraquedistas que chegam aqui na última hora e levam os nossos votos. Torce para que a bancada fique completa.
 
Desânimo
Impressiona-me a falta de motivação entre os montes-clarenses em relação a Copa do Mundo e também as eleições. O reflexo disto é que os votos brancos e nulos nessas eleições, aferidos pelas mais recentes pesquisas do Instituto Datafolha, continuam em patamares recordes. Para termos uma ideia da situação eis alguns dados da política: eles citam, por exemplo, que no cenário onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está detido na Polícia Federal de Curitiba, é excluído da corrida presidencial, brancos e nulos superam os de Jair Bolsonaro (PSL). Apesar de liderar a mostra de intenções de voto no primeiro e no segundo turnos, o ex-presidente Lula vem perdendo fôlego após sua prisão, na pesquisa espontânea, com uma queda de sete pontos porcentuais nessa mostra, com relação ao período em que ainda desfrutava de liberdade.
 
Os números
Os diretores do Datafolha destacam que o único índice que cresceu na pesquisa espontânea reforça justamente a tese da crise de representação: os que dizem logo no início da entrevista que votarão nulo ou em branco. E hoje essa é a resposta imediata de cerca de um em cada quatro brasileiros (23%). Em janeiro deste ano o índice era de apenas 8%. A mais recente pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 6 (quarta-feira) e 7 (quinta-feira) deste mês, teve como base 2 824 entrevistas em 174 municípios em todos os Estados do País, mais Distrito Federal. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob número BR-05110/2018.

Publicidade
Publicidade
Comentários