Senado

Plenarinho / 06/03/2018 - 00h31

O ex-prefeito de Montes Claros, professor Ruy Muniz (PSB), tem recebido diversos convites de partidos políticos para se transferir de legenda e assegurar assim a sua candidatura ao Senado Federal. Muniz tem sido fiel a Marcio Lacerda, que prefere não adiantar o seu destino, já que negocia com Dinis Pinheiro, Alberto Pinto Coelho e lideranças de peso em busca de um consenso. Em Minas, a arte do diálogo político é de anos.

Silêncio 
O silêncio da Câmara Municipal em relação aos fatos políticos da cidade tem despertado reclamações pelas redes sociais. É preciso firmar posição para que a representatividade tenha mais valor, já que o eleitor começa a se sentir incomodado com tanta inércia. “Com a liberação de emendas impositivas, a tendência é piorar”, afirma Welligton Alves, autônomo em contato com este jornalista.
 
Carência
Verdadeiramente somos um país carente demais. Esta passagem do bilionário Neymar pelo Brasil, onde foi submetido a uma cirurgia no dedinho do pé direito, foi transformada em notícia mundial. Uma verdadeira “operação de guerra” foi montada e o “mito”, sempre ao lado da namorada, a atriz Bruna Marquezine, demonstrava muita tranquilidade quando foi filmado pela televisão.
 
Estrago
Quem estava no Shopping Ibituruna na tarde de domingo levou um grande susto. Na hora da tempestade, um trovão conseguiu quebrar um dos vidros da estrutura da praça da alimentação, provocando correria e medo. Aliás, toda a cidade foi atingida com quedas de árvores, rachaduras em muros, isto sem contar veículos que foram atingidos em cheio pelas enxurradas. Na verdade, a cidade ainda carece de melhores condições em suas redes fluviais e pluviais, que estão há muitos anos instaladas e ultrapassadas.
 
Foro privilegiado
Uma frase que sempre está na boca dos brasileiros: “Político não vai preso”. Pois isto pode acabar, e mais de 80% dos entrevistados, em pesquisa de opinião em Minas Gerais, querem acabar com esta lei. Como se sabe, ao contrário de cidadãos comuns, autoridades brasileiras como ministros de Estado, senadores e deputados federais somente podem ser julgados por crimes que cometeram em cortes especiais, como o Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ). Todos torcem para que isto ocorra, mas depende do Congresso Nacional.

Publicidade
Publicidade
Comentários