Ronaldo Lenoir

Plenarinho / 08/05/2018 - 00h39

Considerado um dos grandes jornalistas de Minas, o montes-clarense Ronaldo Lenoir foi vítima de terrível acidente nas estradas mineiras. Com trabalhos prestados ao Estado de Minas, Rádio Itatiaia, tevê e governo de Minas, retornava do interior quando foi massacrado por carreta que passou por cima do veículo em que ele estava. UMA DOR..
 
Retrato do Brasil
Os montes-clarenses que compraram os pastéis e coxinhas do vendedor ambulante que estava sendo retirado da área central da cidade pela fiscalização municipal devem estar abismados com os últimos acontecimentos envolvendo o cidadão. O caso foi levado ao Fantástico da Rede Globo, ao programa de Rodrigo Faro, e ele ainda embolsou R$ 30 mil que ninguém sabe onde foram parar. Ele levou um celular deixado em cima de uma cadeira em um Cartório de Montes Claros, sendo flagrado pelas câmaras de vídeo. Para completar, à noite, curtia com travestis e os personagens que curtiam com ele pediam para pagar novos aparelhos etc. Tudo foi ao ar pelas redes sociais.  

FIES
O financiamento do FIES para quem recebe até 5 salários mínimos pelo Banco do Nordeste é grande vitória da deputada federal Raquel Muniz, que foi à Fortaleza e também esteve aqui na cidade com a diretoria executiva daquela importante instituição bancária. Centenas de alunos de curso superior esperavam por este benefício.
 
Acúmulo de cargos 
Tem que se reconhecer que o governador Pimentel tem feito tudo para garantir arrecadação que lhe possibilite pagar os vencimentos dos servidores em dia. Agora mesmo ele acaba de anunciar que aqueles que acumulam cargos ilegalmente tem os salários suspensos desde sexta-feira. O governador recebeu lista com os nomes desses funcionários apurada pelo Tribunal de Contas do Estado que, além dos empregados com acúmulo de cargos, identificou que algumas pessoas estavam recebendo salários de 184 servidores falecidos que ainda constavam na folha de pagamento do Estado. 
 
Acúmulo de cargos II
De acordo com Pimentel, agora caberá à Controladoria Geral do Estado a análise de cada caso. Sindicância já foi determinada pelo governador. O Estado deve economizar quase R$ 6 bilhões ao ano com a medida, aponta o Cadastro de Agentes Públicos do Estado e dos Municípios de Minas Gerais (CAPMG): o documento elaborado pelo TCE com a identificação das situações irregulares demonstra que um agente público acumula dez cargos. O órgão com a maior irregularidade é a Secretaria de Estado de Educação: são 89.774 agentes com indícios de acumulação ilícita. Em segundo está a Fhemig, com 3.181 agentes suspeitos de acumular cargos.

Vôlei
Lorena, ídolo do vôlei montes-clarense, tomou para si a responsabilidade de voltar com força total com o Pequi Atômico. Ao lado de empresários paulistas, está com o projeto debaixo do braço e procurando patrocinadores para a temporada próxima. Tem a torcida de todos

Publicidade
Publicidade
Comentários