Receita Federal

Plenarinho / 03/04/2018 - 00h54

O montes-clarense teve os seus computadores invadidos nos últimos dias com falso comunicado da Receita Federal pedindo atualização de dados pessoais. As cartas que pedem atualização de dados bancários junto à Receita Federal não têm validade, alerta o próprio órgão. Também as mesmas são enviadas aos contribuintes por via-postal, na própria residência, intimando-os a regularizar os dados cadastrais. Nessa correspondência, há endereço eletrônico para acesso e atualização dos dados. “Apesar de conter a marca da Receita Federal, a carta é uma tentativa de golpe e não é enviada pelo órgão nem tem sua aprovação. A orientação ao contribuinte é que, caso receba esse tipo de correspondência, destrua e jamais acesse o endereço eletrônico indicado”, diz a nota.

 
Em baixa
Proprietários de postos de combustíveis da região vivem num inferno astral. Agora mesmo estão tendo que colocar os preços dos produtos num patamar inferior, provocando grandes prejuízos. Com a gasolina quase chegando aos R$ 5 o litro, o consumidor sumiu e os estoques estavam grande demais. Nos últimos três meses, três estabelecimentos tiveram que fechar as portas. 
 
Um pouco tarde...
Nunca se consumiu tanto o pescado como nesta Semana Santa. As peixarias de uma maneira geral tiveram filas e mais filas. Mas notícias de Brasília dão conta de que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento flagrou, recentemente, irregularidades em 21,8% das amostras de peixe vendidos em 12 estados e no Distrito Federal. Batizada de Operação Semana Santa, a fiscalização envolveu a participação de mais de 50 auditores fiscais federais agropecuários e agentes de inspeção do ministério. Além de produtos vendidos no DF, foram examinadas amostras de pescado oriundas de Alagoas; do Ceará; de Minas Gerais; de Mato Grosso; do Pará; de Pernambuco; do Paraná; do Rio de Janeiro; do Rio Grande do Norte; de Santa Catarina; de São Paulo e do Tocantins.
 
Como foi 
Das 133 unidades analisadas pelo Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro), em Goiânia, 29 apresentaram não conformidade, que ocorre quando a espécie de peixe declarada no rótulo não condiz com o produto contido na embalagem. É como, por exemplo, quando o consumidor compra pescada cambucu pensando tratar-se de robalo congelado. A identificação do pescado foi feita por meio de exame de DNA. Segundo a amostra, uma em cada cinco embalagens de peixe vendidas no varejo desses estados apresenta fraude. O índice é ainda maior nos estabelecimentos que estão sob fiscalização estadual ou municipal: em 36 embalagens analisadas, 20 apresentaram não conformidade, o que representa 55,6% do total. 
 
Pesquisa
Tenho em mãos pesquisas de intenção de votos realizadas em Minas. Os dados para governador e senador não tão animadores assim. A população realmente trabalha para a depuração de nomes ao Palácio da Liberdade, Assembleia Legislativa, Câmara Federal e Senado.

Publicidade
Publicidade
Comentários