Idoso I

Plenarinho / 27/01/2018 - 00h57

A Unimontes tem uma grande oportunidade de estender os seus cursos, só que desta vez, para o idosos. Não é muito fácil encontrá-los ocupando cadeiras em salas de aula das universidades. Mas agora o ensino superior terá cada vez mais pessoas acima de 60 anos na condição de alunos. Norma recentemente aprovada pelo governo federal determina às instituições de ensino adotarem a inclusão da terceira idade. A Lei 13.535 altera o Estatuto do Idoso e obriga centros de ensino a garantir a oferta de cursos e programas de extensão. 

Idoso II
Aqui em Montes Claros, em minha experiência como professor da instituição há mais de 18 anos, pude participar de algumas oficinas e eventos nos quais os idosos eram o foco. Aliás, é um setor que funciona com muito esforço e é pouco divulgado. A Universidade Estadual de Montes Claros pode brindá-los oferecendo mais opções e, assim, melhorando a qualidade de vida de muitos. Merece o registro.
 
Banheiros
A prefeitura poderia aproveitar que tem equipe trabalhando para melhorar os banheiros do Mercado Central e transferi-los, logo depois do término do serviço, para a Praça Doutor Carlos, onde os mesmos ficam fechados, sujos e sem condições de uso. Milhares de pessoas passam diariamente pelo local e não têm alternativa para recorrer a um deles em caso de necessidade. Os do shopping popular também mereciam mais atenção.
 
Denart
O ex-jogador de futebol e também funcionário aposentado do Banco do Brasil Denart D’Ávila, ao longo dos anos, tem prestado um serviço dos mais valorosos à sociedade de Montes Claros. Além do Troféu Bola Cheia, que premia os melhores do esporte e tem uma grande credibilidade, ele mantém apoio social a ex-ídolos de futebol que hoje estão no ostracismo. Merece todo o respeito. Neste final de semana realiza um café da manhã na casa do ex-jogador profissional Ademir Choppin, que atuou em MOC e em outros clubes. 
 
Uber
Sou usuário do sistema Uber, táxis e também do transporte coletivo. A circunstância econômica nos obriga a procurar alternativa para continuar o ritmo de vida. É comum os motoristas dos aplicativos reclamarem muito dos custos que estão submetidos, por exemplo, às altas dos combustíveis, os 25% que têm que recolher para a Uber, sem contar, é claro, algumas variações que ocorrem. Se a lei que está sendo aplicada em BH vier para cá, terão que recolher 1% de cada corrida, o que vai acabar também em cima das suas despesas. Ninguém sabe mais para onde correr.
 
Carnaval
Está na hora de a Secretaria de Cultura divulgar em detalhes como afinal será o nosso Carnaval, ou seja, horários, local da realização, datas, quem vai desfilar. A medida é para oferecer opções aos moradores que não sabem ainda o que fazer durante os festejos de Momo. É tudo feito “em cima da hora”, aliás, nome do bloco do saudoso Mestre Oswaldo

Publicidade
Publicidade
Comentários