Cheque em branco

Plenarinho / 05/07/2018 - 07h03

Na verdade foi um cheque em branco, como gostam de afirmar os analistas econômicos. Pois sim: os vereadores montes-clarenses aprovaram, em reunião extraordinária, o projeto que repassa R$ 13,4 milhões de emendas parlamentares para o município e os hospitais. É que, pela lei, os recursos só podem ser liberados até hoje, 5 de julho. Porém, os parlamentares ficaram indignados, pois a Prefeitura não estratificou quem receberá esses recursos. 
Chama atenção o fato de que R$ 9,7 milhões serão destinados a área da Saúde, sendo que os R$ 3,6 milhões serão para outras despesas. O vereador Wanderley Lega Oliveira (PPS), partido do prefeito Humberto Souto, votou contra o projeto, alegando que não concorda “com essa falta de transparência” e que entende “existir conotação política eleitoral nessa situação”.
 
Faltou esclarecimento 
O presidente da Câmara, Claudio Prates, ainda tentou argumentar que recebeu o projeto enviado pelo Executivo e decidiu fazer uma reunião extraordinária, além de ter passado para a Comissão de Justiça dar parecer. O vereador Edmilson Magalhães se queixou de que faltaram os esclarecimentos, “pois para inserir essas emendas, a Prefeitura teria que retirar outras receitas orçamentárias”. O vereador Idelfonso Araújo alertou que os vereadores estavam “assinando um cheque em branco”.
 
Portão aberto
Uma grande parte da população aproveitou para visitar o Parque de Exposições João Alencar Athayde no dia do aniversário da cidade. Como o momento é de cortesia, fica então a oportunidade para as famílias frequentarem a Expomontes.
 
Imbróglio
Este imbróglio criado entre a MC Trans, moradores e comerciantes da avenida Coração de Jesus, no bairro Major Prates, está ficando constrangedor para todos os lados. Agora mesmo, os que se sentem prejudicados começam a arrancar as placas de estacionamento proibido, instaladas pela empresa. Eles estão revoltados com implicação de mão única e estacionamento proibido numa das laterais da rua. A consequência é que, nessa quinta-feira, o órgão deverá retornar com a mão dupla no local. O presidente da empresa municipal, José Wilson Guimarães, se reuniu com os moradores e comerciantes do local, explicando que ontem os agentes de trânsito pegariam uma declaração assinada de quem reside no local para que a mudança seja feita em caráter definitivo.

Publicidade
Publicidade
Comentários