Anastasia

Plenarinho / 17/05/2018 - 01h00

O lançamento da pré-candidatura do senador Antonio Anastasia chamou a atenção das 1.800 lideranças que acreditam em sua vitória. Ele recebeu todo mundo e prometeu mudar os rumos do Estado. O PSD da deputada Raquel Muniz saiu na frente e apresentou Marcos Montes como seu candidato a vice-governador. Vai ainda ter muito chão para ser conhecido daqui para a frente.

Arquitetos
A manifestação dos arquitetos contrários às novas tarifas para aprovação de projetos, ocorrida em frente da Prefeitura de Montes Claros, vai merecer atenção especial. É que o problema pode ser resolvido com muito diálogo, já que o Estado passou a gestão para o município, que agora terá de resolver esta questão. Em meio aos manifestantes, muitos nomes conhecidos que aprovaram e apoiaram a candidatura do prefeito Humberto Souto.
  
Rejeitou
Um processo relacionado com o governador Fernando Pimentel da Operação Acrônomo acabou voltando para etapa inicial na semana passada. Mas agora, depois de obter vitórias, a defesa de Pimentel tem recursos negados no Superior Tribunal de Justiça. Depois de ter quatro investigações arquivadas no STJ, em menos de um ano, o governador teve uma derrota em uma das ações da operação, na qual é réu. Nó último dia 9, o ministro do STJ, Herman Benjamin, relator da Ação Penal 843, indeferiu a maioria dos pedidos feitos por Pimentel. O despacho foi publicado nesta segunda-feira, no site da Corte.
 
O que fala... 
Após o recebimento da denúncia, os acusados foram citados para defesas prévias. Pimentel apresentou requerimentos, dos quais a maioria foi indeferida. Sobre os despachos, o advogado de defesa do governador, Eugênio Pacelli, afirmou que, em caso de decisões com as quais não se concorda, recorre-se nos autos do processo. “É o que fará a defesa”, afirmou o advogado.
 
Vexame
O TCE de Minas Gerais se superou nas denúncias contra quase 100 servidores que recebiam pagamento ilegalmente por acúmulo de cargos. A lista dos servidores que supostamente estariam fazendo um acúmulo, feita pelo Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE-MG), era contestada pelo governo e parlamentares foram até a Corte de Contas para questionar os dados divulgados.  
 
Vexame II
De acordo com os parlamentares, é inviável que existam demissões a partir do levantamento. Eles alegam que não há irregularidade por parte dos servidores e “que a irregularidade estaria na lista”. Para eles , será facilmente comprovado que os servidores da educação listados não serão cortados, até porque eles podem ter um certo acúmulo. E mais: afirmam que a lista tem muito erros e não dá para ter cortes a partir dela. Muito próximo dos sindicatos de servidores, os mesmos solicitaram ao Governo que realize uma reunião com as entidades de servidores para discutir a questão e tranquilizar o funcionalismo

Publicidade
Publicidade
Comentários