Acordou

Plenarinho / 07/11/2017 - 01h05

Parece que a Justiça Eleitoral acordou. O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entraram na mira do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por propaganda eleitoral antecipada. A Corte Eleitoral deve julgar ainda neste ano dois processos que envolvem a divulgação na internet de vídeos que fazem referência às candidaturas de Lula e Bolsonaro ao Planalto. Os dois, que lideram as pesquisas, já anunciaram publicamente a intenção de concorrer em 2018. Na Corte Eleitoral, a avaliação é a de que esses julgamentos devem estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do tribunal sobre o tema nas eleições de 2018. A legislação permite a propaganda eleitoral somente a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil para quem violar a restrição.

 
Safra ruim
A safra de ex-prefeitos é tão ruim que poucos estão dispostos a enfrentar as urnas no ano que vem visando os governos de Estado. A cinco meses do fim do prazo para desincompatibilização para quem quer disputar as eleições, pelo menos dez prefeitos de capitais já são cotados para concorrer a governos estaduais, ao Senado e até à Presidência. Embora por vezes neguem, frequentes viagens a outras cidades e regiões deixam claro que muitos miram vôos mais altos em 2018.
 
Consignado
A coluna já havia antecipado. O governo está descontando dinheiro dos empréstimos consignados mas não os repassam para os agentes financeiros. Agora mesmo uma professora da educação estadual, que pediu para não divulgar o seu nome, teve o seu nome incluído no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Há dois meses, o Estado tem feito normalmente os descontos do empréstimo em sua folha de pagamento, porém o valor não estaria sendo repassado à Caixa Econômica Federal, banco que concedeu o crédito. A COISA DA FEIA.
 
Adiando
Por enquanto é somente adiamento. O prefeito Humberto Souto vai ter que articular as candidaturas de Cláudio Rodrigues, o Claudim da prefeitura, e Athos Avelino. Os dois são candidatos a candidatos a deputado, mas não se sabe se vão para federal ou estadual. Se forem para o mesmo caminho, correm o risco de trombarem nas bases e dividirem os votos em uma faixa onde contam que têm prioridade. Pelas beiradas os vereadores Wilton Dias e Daniel Dias também sonham em colocar a foto no santinho das eleições do ano que vem. O que se sabe é que Athos não tem sido tão assíduo assim no prédio da municipalidade, o que significa que vai ficando distante de Souto.

Publicidade
Publicidade
Comentários