Aécio

Plenarinho / 02/03/2018 - 05h00

A passagem do senador Aécio Neves pelo Norte de Minas foi tão rápida que nem mesmo os analistas políticos da região tiveram tempo de cruzar os seus dados e chegarem a um diagnóstico. O certo mesmo é que a sua agenda foi modificada e ele acabou adiando a visita ao Clero. Aécio luta desesperadamente para que Anastasia aceite ser o candidato do PSDB ao governo de Minas, aumentando as chances do partido retornar ao Palácio da Liberdade. Além disto, ficou uma ferida enorme aberta com a saída de Alberto Pinto Coelho, ex-governador, que deixou o cargo de presidente do PP.

 
Aécio II
Tirando a euforia de alguns mais afoitos que insistiam que ele deveria ser o candidato ao governo, nota-se que Neves ficou abalado com as denúncias contra ele e vai demorar muito tempo ainda para circular livremente e nos braços do povo, como ocorria antigamente. A política é realmente cruel e não tem homenagens. Ele tenta o recomeço visitando amigos antigos como alguns prefeitos, deputados e vereadores.
 
McTrans
Este episódio envolvendo o diretor presidente da MCTrans, José Wilson Guimarães, além de ser uma lição para ele, vai direto aos que exercem cargo público. Antigamente, praticamente tudo era permitido, mas agora, com o advento da internet e também a ação do Ministério Público, dificilmente qualquer ato ilegal fica sem punição. Deve ser punido, segundo os seus companheiros, pelo Executivo.
 
Juros
O montes-clarense entra na rota do desespero com os juros do cheque especial. Mesmo com a decisão do governo de revisar as normas para o rotativo do cartão de crédito, os juros dessa modalidade continuam acima de 300% ao ano. O mesmo ocorre quando são analisadas as taxas do cheque especial. Dados do Banco Central (BC) mostram que em janeiro a taxa média cobrada no cheque especial somou 324,7% ao ano, com alta de 1,7 ponto percentual em relação ao patamar de dezembro do ano passado (323% ao ano). Cícero Fonseca, empresário de médio porte, do ramo de ferragem, afirma que ninguém mais confia no governo quando o assunto é a economia.
 
FGTS
O Leão do Imposto de Renda está acordado. Agora mesmo outra novidade. Os contribuintes que sacaram contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) devem informar à Receita Federal na Declaração de Imposto de Renda 2018 o dinheiro recebido em 2017. De acordo com o supervisor Nacional do Programa do IR da Pessoa Física, Joaquim Adir, o recurso sacado do FGTS inativo, não importa o valor, não paga imposto. Mesmo assim, deverá constar, obrigatoriamente, no informe deste ano.
 
Opinião
Em entrevista à Rádio Terra, o deputado Paulo Guedes elogiou o trabalho de Tadeuzinho Leite, e afirma que como federais a região já pode contar com ele e Raquel Muniz, que têm trabalhado as bases quase que semanalmente. Guedes tem confiança de que este período do governo Pimentel vai se superado.

Publicidade
Publicidade
Comentários