Nota de pesar: Rosângela Assis Martins

Magnus Medeiros / 06/12/2017 - 00h05

A morte é algo inevitável. Uma das certezas que possuímos na vida, é que todos nós partiremos um dia. Perder uma pessoa querida é muito difícil e não existe um modo de estar preparado para dizer adeus a quem amamos. A dor de perder um ente querido é singular. Toda pessoa tem o direito de chorar essa perda o quanto desejar, pois somente ela sabe a dor que passa em seu coração. Toda a sociedade montes-clarense sentiu profundamente a notícia do falecimento de Rosângela Assis Martins, figura de família tradicional da sociedade, mãe, esposa e avó exemplares, querida por todos e uma verdadeira amiga daqueles que com ela conviviam. Aos familiares os nossos sentimentos e a certeza de que com seu coração bondoso sempre disposto a ajudar a quem a procurava, neste momento, ela já está amparada pelos braços do Senhor.

Reflexão
“Ao envelhecer e, nos tornarmos mais sábios, lentamente nos damos conta de que: um relógio de $ 300 marca a mesma hora que um relógio de $ 30. Uma carteira de $ 300 carrega o mesmo dinheiro que uma de $ 30. A solidão em uma casa de 30 metros quadrados ou uma de 300 é a mesma. Espero que um dia perceba que sua felicidade interna não vem das coisas materiais no mundo. Não importa se viaja em primeira classe ou na econômica, você morrerá se o avião cair. Espero que perceba que, quando se tem amigos e irmãos com quem falar, rir e cantar, isso é felicidade verdadeira”. (Papa Francisco)

Etiqueta
Ninguém deve pretender ser o que não é. Nos recordamos a história de figura conhecida de nossa sociedade, que declarou em uma reunião social que queria ganhar muito dinheiro para comprar um castelo. Ao que outro que escutava a conversa, respondeu: “castelo não se compra. Se herda!”

Aprendendo
Au-au. É o cão que late. Miau-miau. É o gato que mia. Glu-glu. É o peru que gluglujeia. Có-có. É a galinha que cacareja. Chuá-chuá. É a água que cai. Tique-taque. É o relógio que marca as horas. As palavras que reproduzem o som de vozes ou ruídos recebem o nome ora lá de pomposo. É ONOMATOPEIA. O adjetivo dela derivado tem duas formas – onomatopéico, onomatopaico. Ambas têm o mesmo significado. Escolha a que lhe soar melhor. Antes da reforma ortográfica, as onomatopéias eram cheias de capricho. Ora se grafavam com hífen, ora sem. Agora todas pedem o tracinho: bangüe-bangue, blá-blá-blá, có-có, pisca-pisca, tique-taque, toque-toque, glu-glu-glu, quem-quem, Tim-tim. Atenção: os derivados dispensam o hífen: gluglujear, cocorocó.

FIGURA E FATOS
Lançamento de livro
“Conversas com arquitetos norte-mineiros” é o nome do livro de autoria dos inteligentes Antônio Augusto Moura e Alysson Luiz Freitas cujo lançamento está previsto para esta quinta-feira, dia 7, às 20h, no Teatro das Faculdades Santo Agostinho(Avenida Osmane Barbosa, 937, bairro JK). A importante obra dos autores, surgiu da simples intenção de retratar através de conversas com algum dos arquitetos e urbanistas, um pouco da história da Montes Claros e região de ontem, hoje e do futuro sob a ótica da trajetória e visão de cada um dos entrevistados.
 
Fenômenos astrofísicos em dezembro
Desde a antiguidade, estrelas, planetas e outros corpos celestes ajudam a humanidade a acumular conhecimento sobre a origem do universo e o seu funcionamento. Olhar para o céu continua sendo instigante e fonte de sabedoria, seja para estudá-lo, tirar belas fotos ou simplesmente curtir um momento contemplativo-filosófico diante da imensidão acima. Durante este mês de dezembro, por exemplo, entre os dias 13 e 14 acontecerá a chuva de meteoros. Serão cerca de 120 meteoros por hora durante toda a madrugada. Fiquem ligados para o belo espetáculo!
 
Posse no Sindicato Rural
Ricardo Quadros Laughton, depois de mais um mandato como presidente do Sindicato Rural de Montes Claros de grandes realizações em favor da classe, acaba de ser reeleito. A cerimônia de posse será no próximo dia 18 deste mês de dezembro, às 20h, no Clube dos Fazendeiros. Na Executiva, além de Ricardo, serão também empossados: José Avelino Pereira Neto (vice-presidente), Luciano Dias Cardoso (secretário), Francisco A. Peres Corrêa Machado (tesoureiro), além dos suplentes da executiva, conselho fiscal e suplentes. Gratos pelo convite.

Recall eleitoral
Na tradução literal, “recall” significa “chamar de volta”. No direito do consumidor, é um termo comumente utilizado pelos fornecedores ou fabricantes para comunicar o público ou chamar a atenção dele para a retirada do mercado de um produto ou de componentes defeituosos que apresentem risco à saúde ou a segurança do consumidor em geral. Como na Constituição não existe o recall eleitoral, a nós, cidadãos, só nos resta a opção de, a cada eleição, revogar o mandato do político ineficiente, não o reelegendo. Que tal começarmos por 2018?
 
Villa Garden Eventos
Na cidade das festas (como vem sendo cognominada), modernos e bem estruturados salões de eventos pululam por todos os bairros elegantes da cidade. O mais novo empreendimento inaugurado recentemente num elegante coquetel sob a segura coordenação do cerimonial de Luciana Malveira, o Villa Garden Eventos recebeu rasgados elogios dos convidados especiais. O novo local situado na Rua Doutor Mário Veloso, 346 – Jardim São Luiz. Uma nova opção para quem gosta de realizar uma comemoração de alto nível em local nota dez. Confiram. 
 
Apocalipse ataca
A novela “Apocalipse”, entre todas as produções religiosas da Record exibidas até aqui com qualidade e ibope elevado, saiu da linha disparando muitos fuzilamentos contra o catolicismo em praticamente todos os capítulos. Bandeira levantada, sem qualquer pudor e tamanha ostensividade, com fanatismo nada disfarçado, violentando o próprio trabalho de Vivian de Oliveira, a consagrada autora, talvez com passagens, falas e cenas que ela nunca escreveu. Segundo comentaristas televisivos, a referida telenovela estaria contando com a maior presença da Igreja Universal. Acompanhamos algumas novelas religiosas do canal e, agora, para esta, com todo respeito, nossa TV está desligada! De leve.
 
Dentistas e médicos na briga por botox
Após uma sequência de batalhas judiciais de médicos contra biomédicos e farmacêuticos, chegou a vez de uma briga com dentistas. A classe médica agora quer derrubar uma resolução do Conselho Federal de Odontologia (CFO), aprovada em setembro (resolução 176) que dentistas podem fazer uso da toxina botulínica, o botox, e de substâncias de preenchedores faciais para fins estéticos. Argumentos das partes: Conselho Federal de Odontologia: “O dentista estuda cinco anos cabeça e face. Quem é mais preparado para lidar com face? Só eles, cirurgiões sabem aplicar botox? Resposta da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica: “ O objetivo dos dentistas é financeiro, não existindo preocupação com a saúde do paciente”. O impasse promete vários capítulos.
 
Terminando
“Ausência física, ausência da voz e do cheiro, das risadas e do piscar de olhos, saudade da amizade que ficará na lembrança e em algumas fotos.’

 

Publicidade
Publicidade
Comentários