Nomes nas ruas, avenidas ou viadutos

Magnus Medeiros / 12/01/2018 - 00h47
É ridículo e de mau gosto o debate sobre dar ou não o nome e Marisa Letícia a um viaduto em São Paulo. Para começar, com todo respeito à memória dela, faltam credenciais à ex-primeira dama para tal finalidade. Depois, é um desrespeito para com a pessoa dela e, terceiro, é constrangedor os partidos se engalfinharem por esse tipo de coisa. Um assunto puxa outro. Em Montes Claros, também com todo respeito, nomeiam ruas e avenidas com nomes de pessoas boas e comuns, mas que em nada realizaram de realce para o desenvolvimento da cidade. Em compensação, pessoas que mereciam tal destaque são esquecidas. Vamos ser mais criteriosos nas escolhas, fazendo justiça àqueles que realmente mereçam ter seus nomes perpetuados na memória da cidade! De leve.
 
Etiqueta
A palavra convite é um substantivo masculino que é sinônimo de “ser incentivado a tomar parte”. Cada dia que passa, julgamos complicado convidar, aqui entre nós, brasileiros! Uma dica a ser observada diante de um convite: um envelope de convite onde se leia Sr. Fulano de Tal e família é extensivo à família do convidado, mas os filhos do casal que porventura já sejam casados não estão incluídos neste convite. Quem casa constitui nova família e, por conta disto, precisa receber convite separadamente.
 
Aprendendo 
O Vernissage ou a vernissage? Embora seja muito frequente o uso da palavra vernissage como uma palavra feminina, o correto é o vernissage, sendo um substantivo masculino: o vernissage de pintura, o vernissage de escultura, o vernissage de artes plásticas. Exemplos: fui convidado para o vernissage de escultura de Felicidade Patrocínio; haverá um vernissage inaugural da exposição fotográfica de Virgínio Santos; vários jornalistas estarão presentes no vernissage de Hélio Brantes.
 
Reflexão
“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral. As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa. Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, caminhar perto de coisas e pessoas de verdade. O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!” (Mário de Andrade)
 
FIGURAS E FATOS
Patrimônio histórico 
Mais um ano se passou e o magnânimo trabalho realizado ao longo de anos pela preservação do nosso patrimônio histórico é um fato digno de grandes elogios. À frente desse trabalho, o nome respeitado da inteligente e dinâmica Raquel Mendonça, que luta com parcos recursos e com muita dignidade e arrojo na árdua função. Nossos cumprimentos à profissional de peso e de trabalho diário, constante e irretocável! 
 
Carlos Soyer in concert 
E não se esqueçam! A grande pedida para este sábado será o show com o renomado cantor e instrumentista Carlos Soyer, no aprazível Recanto do Rio, localizado na BR 365 (saída para Pirapora), Km 9 (só asfalto), logo depois do Posto Barral 2 e ponte do Rio Pacuí, à esquerda. A partir das 14h. Contatos: 9 9961-1053. Imperdível!
 
O julgamento de Lula 
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) já discute nos bastidores a possibilidade de condenação de Lula no dia 24 deste mês de janeiro, pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal). Ministros acreditam que um veredicto negativo por 3 a 0 será fatal para o petista, dificultando inclusive a possibilidade de concessão de liminar pelo STJ que permita que ele leve adiante uma candidatura presidencial. Neste caso, de unanimidade, prevaleceria a discussão sobre a possibilidade de prisão de Lula, e não sobre a sua candidatura. Já um placar de 2 a 1 daria fôlego ao petista. Ele poderia apresentar mais de um recurso para protelar a condenação definitiva. Vamos aguardar os acontecimentos.
 
Destaques esportivos 
O ano de 2017 terminou e as famosas listas continuam ocupando espaços na mídia, principalmente no meio esportivo. O narrador Jaime Júnior, que atuou com brilhantismo durante um período na nossa InterTV, da Globo Minas, foi um dos destaques ao lado do famoso Galvão Bueno. Em Montes Claros, se fôssemos realizar uma lista para escolher a mais importante figura da atualidade na área esportiva, um nome seria o preferido: Denarte D’Ávila, pelo seu incansável trabalho em favor do Memorial do Esporte de MOC. Destaque com louvores!
 
Absurda carga tributária 
A fonte é do Banco Mundial: “O Brasil tem a maior carga tributária do mundo para pagar a maior corrupção do mundo”. Os essenciais, remédios, carregam em seu preço 36% de impostos. A luz carrega 45,81%. O telefone, 47,87%. A gasolina, que puxa vários aumentos de preços, tem uma carga de 57,03% de impostos. O cigarro, que é supérfluo para quem não fuma, é a vítima favorita de tudo, principalmente a carga tributária de 81,68%. Alimentos, Carnes, em média, 18%; sal, 29,48%. E a lista continua: trigo (do pão de cada dia), 34,47%, Feijão e arroz (18% para cada um), o vilão açúcar (40,4%), o leite, (33,63%) e o popular cafezinho, (36,52). Quer mais? O povo anda revoltado e com razão!
 
Coisas do Brasil 
Vejam vocês! Um septuagenário foi preso por ter furtado um saco com 11 abacaxis de um caminhão tombado na estrada Rio-Petrópolis. Alguém que leu a notícia, blagueou: “Casos como esse não chegam ao ministro Gilmar Mendes, o Libertador!” Sem maiores comentários.
 
Muriçocas de raça 
É do conhecimento geral o suplício que a população montes-clarense vem enfrentando com as terríveis “muriçocas”. Um engraçado e espirituoso anúncio nos chegou através do WhatsApp, que transcrevemos na íntegra: “VENDA – Vendo MURIÇOCAS DE RAÇA. São todas românticas e cantam no pé do seu ouvido em todas as noites. Um luxo! Macho(R$ 3,00), Fêmea (R$ 5,00) e Filhote (R$ 2,00). Motivo da venda: aqui em casa já tem muitas e não tenho condições de criar a todas elas. Mais informações entre em contato comigo pelo privado. Desde já agradeço. E termina: Não posso matá-las; elas têm o meu sangue!”. 
 
Terminando
A “Lei do retorno” – ou a máxima “aqui se faz, aqui se paga” – foi o ponto de partida escolhido por Walcyr Carrasco para desenvolver a trama do folhetim “O Outro Lado do Paraíso”. E com razão! O que a gente faz aqui volta por bem ou por mal. Muita gente da nossa sociedade anda com a pulga atrás da orelha depois de espalhar tanta maldade! De leve.
Publicidade
Publicidade
Comentários