Carolina e João: enlace elegante

Magnus Medeiros / 04/10/2017 - 00h06

Carla Sampaio e Sérgio Rebello Athayde, em nossa opinião, formam um casal dos mais finos, elegantes e educados da nossa sociedade. No próximo dia 4 de novembro, receberão convidados para o enlace da sua querida e bela filha Carolina Sampaio Athayde com João Ferreira Antunes Campos, da sociedade belo-horizontina. A cerimônia religiosa será oficiada na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora Aparecida, seguida de fina recepção no Portal de Eventos. O noivo é filho do casal Edite Ferreira-Hilton Antunes Campos. Acontecimento de realce que reunirá os nomes mais conhecidos do nosso meio social. Gratos pelo convite.
 

Reflexão
A VIAGEM DA VIDA
“Se não puder ser o maquinista, seja o passageiro mais divertido. Procure um lugar próximo à janela; desfrute cada uma das paisagens que o tempo lhe oferecer, com prazer de quem realiza a primeira viagem. Não se assuste com os abismos, nem com as curvas que não lhe deixam ver os caminhos que estão por vir. Procure curtir a viagem da vida observando cada arbusto, cada riacho, beiras de estrada e tons mutantes da paisagem. Desdobra o mapa e planeje roteiros. Preste atenção em cada ponto de parada e fique atento ao apito da partida. E quando decidir descer na estação onde a esperança lhe acenou, não hesite. Desembarque nela os seus sonhos. Que a viagem pela vida seja de primeira classe: em equilíbrio, em sabedoria, em aprendizado e, sobretudo, em amor!”

Etiqueta
Cumprimentar alguém corretamente é simples, porém importante. Nesse momento, estabelece-se um contato físico, e, por mais formal que seja, é sempre expressivo. O ideal é que seu cumprimento seja caloroso. Nada pior do que aquelas pessoas distantes, que cumprimentam a gente como se estivesse fazendo um grande favor. Mostre às pessoas o quanto você sente prazer em estar com elas. Todo mundo vai adorar. Claro que você não precisa sair por aí dando tapinhas nas costas e abraçando quem você mal conhece. Basta um sorriso sinceramente agradável, olhos nos olhos e um aperto de mão firme. O resto vem sozinho.

Aprendendo
Sobra 10% da floresta? Sobram 10% da floresta? No Bom Dia, Brasil, ouviu-se esta frase: “Sobrava 10% da floresta”. A concordância está correta? Não. Com percentagem, abra os dois olhos. A danada joga no time dos partitivos. A posição do verbo é chave: 1. Se vem depois do sujeito, o verbo pode concordar com o numeral ou com o complemento: Só 10% da floresta foram mantidos (concorda com 10). Só 10% da floresta foi mantida (concorda com floresta); 2. Se o verbo vem antes do sujeito, cessa tudo o que a musa antiga canta. A concordância é com o termo mais próximo: Sobrava 10% das árvores. Sobravam 10% da floresta.

FIGURAS E FATOS

38 anos de jornalismo
É possível ser um jornalista independente? É possível, sim! Em 38 anos de jornalismo sério e informativo sempre tivemos a preocupação de levar aos nossos leitores, páginas feitas com muita seriedade, isenção, elogios a quem fez por merecer e criticando de forma construtiva o que achamos que carece de atenção e solução. Muitas vezes uma crítica construtiva inserida em nossa página (intrigas e fofocas não fazem parte do nosso metiê), não é recebida de bom grado por determinadas pessoas que somente gostam - e pagam – para receber confetes e purpurinas, julgando-se super poderosas e dando provas cabais da sua prepotência. São os donos da verdade, que nunca erram e intocáveis dentro das suas redomas de vidro. Avessos às críticas, passam a virar o “beicinho” para o autor das notas. O que menos nos importa são essas atitudes infantis, imaturas e próprias de gente deslumbrada. Nosso lema continua sendo o de bem informar, sem amarras ou cabrestos, pois não temos compromissos com quem quer seja, a não ser com nossos fieis leitores, ávidos de boas informações. De leve.
 
Exposição Coletivo Singular
Foi aberta na Casa de Cultura Márcia Prates (Rua Lírio Brant, 810 – Melo), a EXPOSIÇÃO COLETIVO SINGULAR com trabalhos dos mais renomados artistas plásticos da cidade como: Afonso Teixeira, Carlos Muniz, Conceição Melo, Felicidade Patrocínio, Hélio Brantes, Júlio Vallin, Lúcio Saraiva, Márcia Prates, Sérgio Ferreira, Walmir Alexandre, dentre outros. A exposição permanecerá naquele local até o dia 14 de outubro (das 9h às 18h) e sábados de 9h às 12h.
 
Palestra com doutora em educação especial e inclusiva
A Educar Minas com apoio da Faculdade ISEIB de Betim (FISBE) e da Faculdade ISEIB de Belo Horizonte, realizou no auditório da ACI, a palestra “Função da Escola no Ambiente Socioeducativo: A diversidade Social e Inclusiva na Atualidade” pela inteligente professora doutora e grande amiga Antônia S. Silveira e Oliveira, doutora em educação especial e inclusiva pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sucesso maiúsculo alcançou a palestra que mereceu rasgados elogios de todos os presentes. Vale o registro.
 
Inversão de valores
Em toda sociedade, sem exceção, a praga da inversão de valores atinge as raias do insuportável. E Montes Claros não foge à regra. Pessoas sem qualquer referência ou identidade histórica são valorizadas em detrimento de outras, ao contrário, plenas de qualidades e de serviços prestados à comunidade em que vivem. Quando a máscara cai, a reparação de erros se torna difícil. Valorizar quem realmente merece é a fórmula mágica para se evitar arrependimentos, ingratidões e problemas de consciência (se é que em alguns casos, existam).
 
Destaques Lazinho Pimenta
O colunista João Jorge promoveu a noite cognominada “Destaques Lazinho Pimenta”. Animação da Banda Império de Minas, decoração de Eduardo Vieira e presenças de conhecidos nomes da sociedade na lista de homenageados, apadrinhados pela atuante deputada Raquel Muniz e seu esposo, Ruy Muniz. Sucesso total!
 
Políticos & benesses
Parentesco não pode ser pretexto para políticos beneficiarem os seus. Pelo contrário até: exigirá mais, com eles e será mais intransigente. Por que justiça começa em casa e o equilíbrio se firma no lar. Concordam?
 
Dulce Sarmento: grande expressão musical
Dulce Sarmento, que nos deixou tão cedo, merecidamente, ganhará uma publicação contendo suas inúmeras partituras musicais (hinos, músicas sacras, folclóricas e regionais), depoimentos de amigos e fatos importantes sobre a sua vida e obra. Dulce pode ser considerada um dos maiores destaques musicais – senão o maior e mais importante - da cidade em todos os tempos. À grande mestra, devemos a nossa iniciação musical e duas músicas de sua autoria que recebemos para interpretar (Saudades de Januária - em parceria com Irmã de Lourdes - durante o centenário da ribeirinha cidade - e Barqueiro do São Francisco). Clarice Sarmento continua pesquisando e, dentro em breve, será prestada, através de importante publicação, merecida homenagem à saudosa Dulce.
 
Terminando
Perguntaram a um sábio: “Nossos mestres sempre nos ensinaram que não há nada neste mundo que não tenha o seu respectivo lugar. Assim, também o homem tem o seu devido lugar. Por que, então, as pessoas se sentem tão oprimidas?” – “Ora, simples: porque um quer ocupar o lugar do outro”, respondeu o sábio. (Autor desconhecido).

Publicidade
Publicidade
Comentários