27ª Festa Nacional do Pequi

Magnus Medeiros / 02/03/2018 - 04h45

No período de 9 a 11 deste mês, na praça da Matriz, ocorrerá a 27ª edição da tradicional e sempre esperada Festa Nacional do Pequi. Durante três dias consecutivos, teremos exposições, feiras, oficinas, palestras e shows. No dia 9 (sexta-feira), abertura da mostra “Sertão das Gerais” com belas fotos assinadas por Manoel Freitas, exposição “A Viola Brasileira”, de Natanael Gonçalves, e apresentação da Orquestra de Viola Caipira e Banda do 10° BPM. A partir das 19h, no Centro Cultural Hermes de Paula. Às 20h, na praça da Matriz, haverá shows com Pedro Boi, Folia de Reis e Marina Machado, além de feiras de arte, artesanato, gastronomia, agroecologia e economia solidária. Imperdível!

Aprendendo
Os diminutivos são cheios de emoção. Falam de carinho, amor, ódio, ironia. Exprimem a linguagem do coração. Deixam pra lá a fala nacional. Chamar de livrinho uma publicação pequena indica tamanho pequeno. Mas de amorzinho o gatão de 1,90m e 150kg exprime afeto. Dizer que a garota é bonitinha não deve alegrá-la. Deu-se um jeitinho de afirmar que a coitada não é bonita. Classificar alguém de professorzinho, doutorzinho ou empregadinho desqualifica a criatura. Se a gente adjetivar o substantivo, então, aumenta o poder da agressão. Quer algo mais pejorativo que o advogadinho de porta de cadeia? Ou professorzinho do interior? Ou empregadinho de boteco? Mata sem pena.

Reflexão
É com o tempo que percebemos que para sermos felizes, não precisamos necessariamente de muitas pessoas, mas sim de pessoas que são “muito”. Muito boas, muito humildes, muito sinceras, muito carinhosas, muito prestativas e, principalmente, as que nos querem ver “muito felizes”.

Etiqueta
Nunca interrompa! Dizer “seja mais objetivo” ou “vá direto ao ponto” pode ser indelicado. Mas é pior quando você termina a frase que o outro estava para concluir ou acelera o coitado para que ele mesmo termine o discurso abruptamente, como se tivesse freios ABS. Jamais corte os outros!

FIGURAS E FATOS

Dupla comemoração
Nossos estimados amigos Tônia e José Felipe Oliveira, empresários bem-sucedidos em empreendimentos de ensino universitário em várias cidades de Minas Gerais, neste mês de março, têm muito a festejar. No final do mês, preparam uma dupla comemoração que vai reunir familiares e amigos mais chegados. Naquela oportunidade, serão lembrados os seus 40 anos de feliz matrimônio e os 6.0 de Tônia. Um encontro que fazemos questão de estarmos presentes.

Crítica à novela
O Conselho Federal de Psicologia do Brasil (CFP) publicou uma carta aberta em seu site criticando a novela “O Outro Lado do Paraíso”, exibida pela Rede Globo, em especial ao núcleo que envolveu a personagem Laura, vivida por Bella Piero. Na trama, Laura sofre para ter intimidades com seu marido Rafael (Igor Angelkorte), por conta de abusos sexuais que sofreu de seu padrasto Vinícius (Flávio Tolezani) na infância. Ela busca ajuda profissional, mas em vez de ir a um psicólogo, procura sessões de hipnose e coaching, o que é desaprovado pelo conselho. Na carta, entidade reconhece que trata-se de uma obra de ficção, mas que ainda assim é capaz de “formar opinião” e presta um “desserviço” à população brasileira ao tratar com simplismo e interesses “mercadológicos” o sofrimento da personagem que foi abusada sexualmente em sua infância.
 
Homenagens na Rural
Na próxima segunda-feira, às 20h, no auditório Osmani Barbosa, a Sociedade Rural de Montes Claros realiza a solenidade de descerramento da fotografia de Osmani Barbosa Neto - um dos grandes líderes ruralistas de nossa região - na galeria de ex-presidentes da entidade. Entrega também o diploma Associado Benemérito a outro destaque do meio, Luiz Guilherme Antunes Câmara. Gratos pelo convite. 
 
Padaria pra cachorro
A humanização dos pets é a nova tendência do mercado para animais domésticos. Na capital mineira foi inaugurada, no mês passado, uma loja dirigida a clientes que enxergam seus cães e gatos como membros da família, mais do que bichinhos de estimação: Padaria Pet, no bairro Buritis, na região Oeste. O conceito vai muito além de pet shop convencional e oferece até espaço com piscina de bolinhas para festa de aniversário de cachorros, além de produtos “humanizados”, como cerveja para cães, panetones, gelatina, bolos e molhos para ração. Minas Gerais é o Estado com maior número de residências com cães domésticos do Brasil, 46,7%, segundo dados do IBGE. Sinal dos tempos.
 
Música e literatura na Chácara Bugarin
O Núcleo de Ópera e o Rotary Club de Montes Claros - União promovem, dia 9 deste mês, na Chácara Bugarin, uma noite com diversas atrações culturais, reunindo música e literatura em homenagem pelo Dia Internacional da Mulher. Dentre as atrações, o tenor Márcio Valle (do coro do Teatro Municipal de São Paulo). Ele vai cantar modinhas brasileiras e outras acompanhadas ao violão, no afã de aproximar a canção erudita do público. Ainda na programação, o lançamento do livro “O Folhelho - Histórias de Vida”, do escritor português Fernando Paralta. À frente do projeto, a maestrina Maristela Cardoso.
 
Vitaminas e suplementos alimentares
O Mercado mundial de vitaminas e suplementos alimentares é bilionário. Só nos Estados Unidos movimenta US$ 30 bilhões anuais, com mais de 90 mil produtos vendidos pela internet ou expostos em lojas que mais parecem hipermercados. Se você é daquelas pessoas bem alimentadas, mas tem fé nas vitaminas e suplementos industrializados para ajudá-lo a preservar a saúde e a prevenir gripes, resfriados, infartos e outras enfermidades, tira o cavalo da chuva. Nenhum medicamento da medicina do século 21 tem esse poder milagroso. Sem contar com a ajuda da farmacologia, só resta uma alternativa: menos excessos alimentares e mais atividade física. Não dá para passar o dia sentado comendo tudo o que está por perto. Importante conselho do grande médico Drauzio Varella.
 
Terminando
“O grande poeta é aquele que nos diz coisas que não sabíamos ou não tínhamos pensado e, de repente, abrem clareiras no nosso entendimento. Não precisa fazer isso em versos. Pode fazê-lo também numa crônica de jornal, numa mensagem de e-mail ou num bate-papo de botequim - basta que o faça de maneira concisa, precisa e original, como é obrigação dos poetas. Ferreira Gullar era esse poeta. Em seus últimos anos de vida, ele revisou muitas das lutas em que se meteu e, subitamente cansado, concluiu que “não queria ter razão - queria ser feliz”. (Ruy Castro)

Publicidade
Publicidade
Comentários