Piores do ano

JJ em Dose Dupla / 29/12/2017 - 00h00

Já dizia Carlos Imperial: sem liberdade para espinafrar, nenhum elogio é válido. Nesta última edição do ano vamos apontar os piores de 2017 no palácio da Cula Mangabeira, afinal esta é uma coluna de opinião com a marca da coragem e da irreverência de JJ.

Caloteiro do ano
O prefeito Humberto Souto, que não pagou boa parte das rescisões contratuais dos ex-servidores e o salário de dezembro de 2016. A frase marcante do caloteiro é: “Não paguei e não vou pagar os que estão faltando”, dita pelo coronel Souto na semana passada, no MGTV.
 
Prêmio extorsão do ano
A MCTrans de Souto, indústria ilegal de multas contra o povo. Foi a que mais faturou do povo, para o bolso da prefé.
 
Fantasmas do ano
Erik Santos (diretor da Secretaria de Esportes do “honestinho” e sobrinho do prefeito). Onde é que ele trabalhou este ano? Foi em Nova Esperança, na zona rural, mas o ponto aqui ele assinou direitinho. Dayana Quadros, a princesa coordenadora da Casa da Cidadania, só apareceu no final do ano, após chiadeira dos colegas.
  
Mentira do ano
O final da Taxa do Lixo, anunciada pelo “honestinho” Souto. O espertinho só mudou o nome para “Taxa de Limpeza”.
  
Vaias do ano
A vaia estrondosa de 20 mil pessoas em cima de Souto no desfile cívico de 7 de setembro, com o “honestinho” pagando o mico como o pior prefeito da história, desfilando em carro aberto.
  
Pior secretário
Claudinho da Seplag abalou geral! Empregou a esposa, a filha dela, escondeu a sujeira do palácio e deu 100% de gratificação até para servidor demitido envolvido em escândalo. Arrasou!
 
Homenagem especial
Igor Dias (Secretaria de Esportes). Este é campeão. Deixou a Praça de Esportes pegar bicho. Um ano sem trocar a água da piscina, os trampolins quebrados e ressuscitou sapos, ratos e pererecas no centrão da city. (Continua na próxima)

Publicidade
Publicidade
Comentários